6 de março de 2014

Semana é de retorno, então vem mais um aí!! Vãn Züllatt outra vez na Cascatinha!!!!

Voltando com força total essa semana, vamos com mais uma banda hoje!!!
A Vãn Züllatt volta à Cascatinha pra mostrar o força e a loucura do música instrumental do sul do RS.

O grupo de música instrumental Vãn Züllatt (pronuncia-se Vãn Zila) fez sua estreia nos palcos abrindo o 2º Festival das Artes Psicodélicas, realizado em Março de 2005 em Pelotas, ao lado de grandes nomes da cena musical gaúcha como Carlo Pianta e Pata de Elefante entre outros. Desde então a proposta do grupo, no que tange a esfera musical, é a experimentação sonora por meio da fusão total de ritmos e sonoridades da musica universal. 

O grupo tem como núcleo Marcelo Silva que além de baterista e força motriz do Vãn Züllatt é o principal compositor e arranjador. Silva é sociólogo e responsável pelo direcionamento musical e conceitual do grupo. 

Foto: Danusa Lazzari
O repertório, puramente instrumental, deu origem a dois álbuns disponibilizados desde o lançamento de forma gratuita na internet. O primeiro, O Casulo (2008), registra a fase inicial. Gravado de forma precária pelo grupo em seu próprio local de ensaios, o álbum apresenta o momento inicial e mais experimental do Vãn Züllatt com uma sonoridade que mistura a variedade rítmica da música brasileira com as cores e timbres do rock setentista. O segundo álbum, Betelgeuse (2011), traz um lado mais conceitual e progressivo da banda mas, ainda assim, mantendo o pé na música brasileira. 

Em seu time Marcelo Silva conta com Jonatã Müller na guitarra, Gabriel Mattos no baixo elétrico e Cleber Vaz como multi instrumentista. Müller é, além de físico, técnico em eletrônica e principal responsável pela sonoridade do grupo ao projetar e construir os sintetizadores analógicos e demais aparatos eletrônicos que definem o som do quarteto em termos timbrais. Mattos além de baixista e ritmista também é o termômetro do humor e astral do grupo. Vaz, multi instrumentista (teclados, guitarra, flauta e sax), colabora com Marcelo Silva nas composições e é responsável pela produção do álbum Betelgeuse.  

Betelgeuse não só apresenta um trabalho diferente do primeiro álbum mas também conta com as participações especiais dos grandes amigos e excepcionais músicos Douglas Osinaga e Eugênio Bassi. Osinaga, que é o nome da guitarra em Pelotas, colore o segundo álbum arranjando e tocando guitarra na faixa de abertura, Contatos. Bassi, expoente da música na região sul do estado, é compositor, arranjador e produtor. A suíte Seis Níveis de Criogenia, segunda faixa de Betelgeuse, é basicamente um diálogo composicional entre Eugênio e o grupo Vãn Züllatt. Além de participar da gravação do álbum em 2011, Eugênio Bassi brilhou com sua guitarra, percussão e voz no palco da 3ª edição do festival Pira Rural em 2012 para o qual Vãn Züllatt foi a primeira atração confirmada. 


Atualmente o grupo trabalha na produção do terceiro álbum com finalização prevista para o segundo semestre de 2013

Mais sobre Vãn Züllatt: 

Um comentário:

Casper disse...

Magnífica banda. Gostaria que fizesse tours mais extensas. :~~