23 de março de 2015

Oficina de Purificação com Rapé Medicinal

Foto: Bruna-Todeschini
Bom dia amiguinhos!!

Estamos passando pra divulgar mais uma oficina: Purificação com Rapé Medicinal.

O objetivo desta oficina é apresentar e demonstrar a aplicação do rapé para quem tiver interesse em entrar em contato com essa experiência. Conforme a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Rapé ou Tabaco Inalável, é um tipo de produto derivado do tabaco e que não gera fumaça (smokeless tobacco), em forma de pó e destinado a ser aspirado. 

O rapé é um pó feito geralmente de tabaco e outras ervas e cinzas de árvores que são moídas e transformados em um pó fino e aromático que é aspirado ou soprado pelas narinas. Seu uso é ancestral e já esteve bem presente em diversos lugares e épocas. 

A Oficina de Rapé Medicinal deve ser desfrutada com consciência, sempre lembrando que o seu uso deve estar alinhado a um propósito espiritual. Sob esta óptica, o rapé pode expandir muito a consciência e a mediunidade. Nas culturas indígenas, o rapé é uma medicina sagrada – um espírito poderoso da floresta e, deve ser tratado como tal.

Recomenda-se usá-lo de manhã (antes do café da manhã), final de tarde (após trabalho) e à noite, antes de dormir para trazer bons sonhos e ter uma noite tranquila de sono. 

Conforme a Anvisa, o produto não é recomendado em menores de 18 anos, gestantes e lactantes, pessoas que sofrem com problemas cardiovasculares, pressão alta, bem como, pessoas com quadros em que apresente epilepsia ou qualquer outro que comprometa as funções neuropsíquicas. 

O rapé não é aspirado, mas sim soprado nas vias nasais através de uma espécie de canudo (tepi). Também pode ser auto aplicado através de um instrumento chamado “curipe”. Por ser uma energia densa, quando se está sob o efeito forte do rapé, a forma mais simples e rápida de diminuir o efeito é banhar-se com água fria.

Vale lembrar também que o rapé, assim como outros derivados do tabaco, tem venda e consumo proibidos para menores de 18 anos pela lei brasileira.

Tipos de rapé mais conhecidos:
Rapé de Pau-pereira
É indicado para meditação ou descarrego de energias. Muito fino, é um rapé mais indicado para quando a pessoa quer entrar em meditação ou fazer um pequeno descarrego de determinadas energias, porém como todo rapé serve para descongestionar o nariz. Rapé forte. 

Pau-pereira com Eucalipto
A diferença é que ele tem um agradável aroma das folhas do eucalipto que também ajuda no processo expectorante. Sensação de resfriamento. Alivia muito o calor.

Rapé de Samsara
Esse rapé contém a folha de Samsara, uma folha utilizada pelos indígenas e caboclos para refrescar o corpo quando o mesmo está muito quente, baixando a temperatura corporal, indicado para iniciantes. Rapé suave e de aroma agradável.

Rapé Mentolado
Rapé composto por ervas expectorantes, rapé indicado para desobstrução nasal e febre, refresca o rosto e ajuda a soltar o muco que outros rapés não conseguem.

Rapé Apurinã
Indicado para quem quer parar de fumar, rapé com uma agradável aroma de mato, não e percebe a presença do tabaco, muito leve e concede um grande bem estar físico, uma “leveza”.

Rapés que serão degustados na Oficina: Rapé Mentolado e Rapé Apurinã.
Duração: 45 minutos cada sessão .
Número máximo de participantes: 30 pessoas por sessão.


Ministrantes:
Bernardo Bernardi  a.k.a  Surya Karuna (Santa Maria, RS)
Bacharel em Relações Internacionais pela Universidade Federal do Pampa (Unipampa). Criador das páginas no Facebook, Vagabundos do Darma (sobre Filosofia Oriental)  e Transhumanismo Brasil (sobre Filosofia Futurista). Possui Certificados das Plataformas Coursera e EDX sobre Globalização, pelas universidades de Leiden (Holanda), Georgetown (Estados Unidos) e Austin ( Estados Unidos).

Cristal Bernardi  (Santa Maria, RS) 
Acadêmica de Desenho Industrial - Programação Visual  e Bolsista do Núcleo de Pesquisa e Produção de Conteúdo para Plataformas Digitais  (NPC), do CNPQ, na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Outras referências:


Nenhum comentário: