31 de março de 2016

Poetizando as águas da cascatinha


Arena Cascatinha

Nas barrancas do Lajeado da Gringa
Obra Geringonça da Natureza
É lá e na Páscoa que renasce Pira Rural
Criação de Trabalhos Espaciais Manuais
Com pilares de cerno Muñoz
Erguidos com sopros do Maurício Oliveira
E coberto com folhas de Naftalanja
No alto as Aves Tagore lando
Manouche Manolo vindos do Norte e do Sul
Procurando o Quarto Ácido de Panambier
Ali a Arca do Grego ancorou
Com muitos seres do Mar de Marte
Iago Mariani & Os Viajantes trouxeram especiarias
Gabriel Romano os molhos de acordeon vegano
Davi Henn instrumentos de cozinha colonial
Maria Baderna os caldinhos da Betty
Will Fedrizzi uma tábua afinada de legumes
E Hyndira Borba muitas cores de Magabarat
Por lá dias de chuva é o KIAI pra curtir
Com amigos na fogueira de Chama Violeta
Sentir o calor do Centro da Terra
E como uma Máquina Seca
Os trajes de Los Cucarachos Del Blues
Mesmo com os ventos da Butique da Cana
La Digna Rabia dos seres seguiu tranquila 
Como o espírito do Velho Hippie
Que nas manhãs distribuía sementes de Vãn Züllatt
E na companhia dos mirins Natan e Naiane
Abraçava a Xispa Divina do Povo
As estrelas da Arena Cascatinha

Tuito            

Nenhum comentário: