15 de março de 2018

Festival Pira Rural 2018 >> Oficinas | Carijada: a vivência de produção da erva-mate

 .:: Oficinas | Carijada: a vivência de produção da erva-mate ::.
 
A Carijada é uma maneira de secar erva mate com brasas e fogo baixo, utilizando uma estrutura para alojar os ramos de erva mate a uma altura adequada do calor. Os Guaranis criaram esta técnica para aumentar a produção, se desenvolveu uma estrutura que secasse uma quantidade muito maior de erva - e por muito tempo esta foi a maneira que os Guarani e imigrantes secaram a erva-mate, tanto para o consumo próprio como posteriormente para comercialização.

O carijo consiste numa estrutura estilo estrado, erguido a uma determinada altura do chão, onde se colocam os feixes de erva-mate - ou "macacos", e/ou coloca se uma única vara de bambu na horizontal para manter os feixes de erva pressionados - e se faz um fogo baixo por horas para a secagem uniforme.


Durante todo o ritual da Carijada o público do Festival poderá participar desde a montagem do Carijo, até cevar o primeiro mate. As tarefas incluem o sapeco, que é o primeiro contato da erva-mate com o fogo de forma direta, antes de ser alojada no Carijo. Além de outras etapas como: despenca dos galhos, pois para encarijar, é necessário quebrá-los em ramos menores, formando e fechando feixes no estilo "macaco" ou apenas os ajeitando agrupados, colocando-os em pé no estrado com a "galhama" para baixo, o que permite com que a fumaça passe mais uniformemente por toda a extensão da erva.

Outro momento importante da vivência é a ronda do Carijo, o momento de cuidado e curtição da carijada, no nosso espaço de aconchego e união. Quando a erva estiver pronta, iniciaremos o processo de cancheamento, nesse momento serviremos o primeiro mate, de erva mais grossa. Após o cancheamento, que é uma primeira triturada da erva sobre uma tábua e realizada com uma pá de corte, a erva poderá ir para o pilão, para que os participantes e público geral possam socar sua própria erva e cevar aquele chimarrão saboroso de erva mate artesanal, orgânica e defumada.

Mestre Carijeiro: Luis Pires o “amigo”. Descendente de Carijeiros antepassados da Região Noroeste do RS.
Duração de toda vivência: aproximadamente 24 horas. Para os interessados em participar da vivência, será opcional a presença em todos os processos.

Fonte: Cartilha Carijo e Luis Pires.
Mais informações sobre o resgate histórico do Carijo:

- https://youtu.be/B6eYnbNQV5o (Carijo - filme/documentário)
Documentário produzido e realizado pelo Coletivo Catarse:

- http://carijoofilme.blogspot.com.br/


Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

Nenhum comentário: