23 de janeiro de 2019

Ricardo Vignini

Viola de Lata é o 15° álbum do violeiro Ricardo Vignini e seu 3° solo, totalmente dedicado a violas dinâmicas, com 11 faixas próprias e uma versão para Rio de Lágrimas (Tião Carreiro, Lourival dos Santos e Piraci) com influências de música caipira, nordestina, folk, rock e blues.

Foto: Marcelo Macaue.
Os instrumentos ressonadores foram criados no final da década de 30 nos EUA antes de existir amplificação eram instrumentos que tinham muito volume no Brasil a Del Vecchio criou o violão dinâmico posteriormente, violas, bandolins, o violão tenor e cavaco, instrumentos comuns no choro, música nordestina e caipira.

Ricardo Vignini faz parte do duo de violas caipiras Moda de Rock que faz releituras de clássicos do rock, membro fundador do Matuto Moderno que completa 20 anos em 2019, tocou também com Lenine, Zé Geraldo, Guarabyra, Tavito, Tuia, Renato Teixeira, Índio Cachoeira, Socorro Lira, Katya Teixeira, Pepeu Gomes, Robertinho de Recife, Kiko Loureiro, Andreas Kisser, Edgard Scandurra, Marcos Suzano.

E nessa páscoa, finalmente, estará na Cascatinha!!!

Do Ferro ao Pó | https://youtu.be/MJVO9l9zxrU
Adaga de Prata

Cadastro de excursões encerrado!!

Olá amiguinhos!

Já ultrapassamos o limite de ingressos disponíveis para excursões, então as inscrições estão encerradas!! Iremos definir o rateamento dos ingressos, e entraremos em contato com cada excursão inscrita.

Abraço a todos!
Festival Pira Rural

Cadastro de excursões rolando logo mais!

Olá amiguinhos!!

Fiquem atentos, porque logo mais, ao meio-dia, abrem as inscrições para as excursões interessadas em vir ao 10° Festival Pira Rural.

Lembrando que o número de ingressos solicitados pelas excursões será avaliado de acordo a tornar viável a maioria das excursões, assim como pelo histórico de cada uma junto ao Festival, valendo para essa avaliação, a ordem de inscrição das excursões.

As demais explicações estão no menu EXCURSÕES no nosso site, e o link para acesso do formulário é esse abaixo.

---------------------------------------------------------------------------------
CADASTRO DE EXCURSÕES
---------------------------------------------------------------------------------


Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

22 de janeiro de 2019

Pata de Elefante

Em 16 anos (2002-2018), a Pata de Elefante lançou quatro discos, tocou em diversos lugares do Brasil, ganhou prêmios como VMB 2009 (MTV) - Melhor Banda Instrumental - e Açorianos em 2005 e 2011 - Revelação e Melhor Disco Instrumental, respectivamente -, participou de projetos e editais, teve músicas incluídas em trilhas sonoras de filmes e conquistou público e crítica com a força de sua música.

A Pata de Elefante levou seu rock instrumental para um público acostumado a ouvir música com vocal e se tornou referência entre as bandas instrumentais brasileiras que surgiram na primeira década do século 21.      

Trajetória 
A Pata de Elefante surgiu em janeiro de 2002, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. O primeiro disco, "Pata de Elefante", foi lançado em dezembro de 2004 pela  Monstro Discos. A partir deste momento, o grupo passou a se apresentar nos principais festivais de rock no Brasil, como Goiânia Noise (2004, 2006 e 2007) e Abril Pro Rock (2008). Por este Cd, ganhou o Prêmio Açorianos de Música 2005 de Porto Alegre. Na revista Bravo, em resenha veiculada em julho de 2005, o trabalho da Pata de Elefante recebeu um elogio de peso: "a música instrumental brasileira tem salvação". 

Em 2007, foi selecionada no edital Rumos Itaú Cultural (2007-2009), que funciona como uma espécie de mapeamento da música brasileira. No fim do ano, lançou o segundo Cd, "Um olho no fósforo, outro na fagulha". Em janeiro de 2009, "Um olho no fósforo, outro na fagulha" ficou entre os 25 melhores discos de 2008, segundo a lista da revista Rolling Stone.

Em outubro de 2009, a Pata de Elefante ganhou o VMB (MTV), na categoria Melhor Banda Instrumental. 

Em abril de 2010, a banda disponibilizou seu terceiro disco, Na Cidade, pelo selo Trama. Na Cidade foi produzido por Júlio Porto, mixado por Beto Machado e gravado nos Estúdios Trama, em São Paulo. A masterização foi realizada nos Estúdios de Abbey Road, em Londres, por Steve Rooke, que remasterizou alguns dos discos dos Beatles.  O jornal Zero Hora (Porto Alegre) destacou o disco entre as produções de artistas gaúchos em 2010.
    
No Prêmio Açorianos de Música de Porto Alegre 2011 o álbum Na Cidade  foi escolhido o Melhor Disco Instrumental.  
     
Em fevereiro de 2014, foi lançado o disco Julio Rizzo e Pata de Elefante, com Julio Rizzo no trombone, Luciano Leães nos teclados, Edu Meirelles no baixo, Gustavo Telles na bateria e Daniel Mossmann e  Gabriel Guedes nas guitarras.    

Atualmente a banda está em fase final de produção do seu próximo disco.

Ao Vivo no Bar Ocidente, Porto Alegre, Out'16

Clipe “Um Olho No Fósforo, Outro Na Fagulha

Trabalhos Espaciais Manuais

Foto: Vitória Proença.
É uma pequena orquestra de música popular que surgiu em Porto Alegre, sul do Brasil.

A banda desenvolve sua sonoridade através do formato Baile-Show, onde estilos como o samba, o funk, jazz e o rock são misturados em uma atmosfera dançante em que é impossível ficar parado.

Em 2019 a TEM já é presença confirmada no festival Psicodália e agora nas comemorações de 10 anos do Pira Rural.

Links:
Manobra de Dobra em Urano | https://www.youtube.com/watch?v=dPZgK6lYjZY
TEM'18 Noite de amor na jamaica | https://www.youtube.com/watch?v=amFW2Wfmtcc

16 de janeiro de 2019

Ingressos online disponíveis logo mais

Olá amiguinhos!!

Passando para lembrar que logo mais, às 20 horas, os ingressos online pro Pira Rural 2019 estarão disponíveis para venda.

Acessem o link abaixo e vejam como proceder.

Não marquem bobeira!!
Boa sorte a todos!

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo