5 de fevereiro de 2019

Conjunto Musical La Digna Rabia

Formado em 2010 com a intenção tocar covers de sucessos do rock cantado em espanhol, o Conjunto Musical La Digna Rabia foi, desde então, incorporando composições próprias, novos integrantes e novas sonoridades até chegar ao formato atual em que percorrem um mapa sonoro do continente latino-americano, costurando gêneros como a cumbia (afro-colombiano), o ska (anglo-caribenho), os corridos (mexicanos) ou o reggaeton (porto-riquenho) numa fusão conduzida por uma pegada de tradição roqueira.

A formação atual reúne sete músicos, com destaque ao naipe de metais, percussões e sintetizadores. Nessa trajetória, foram lançados três EPs – La Digna Rabia (2012), Conexión Chiapas (2013) e Ni Olvido, Ni Perdón (2018) – e um CD, intitulado “Conjunto Musical La Digna Rabia y el Increíble Baile Calavera” (2016). Além de já ter participado de alguns dos principais festivais do Estado, a banda é presença frequente em manifestações callejeras e ocupações, onde expressam sua origem política libertária. Em novembro de 2017 apresentaram seu espetáculo “Conjunto Musical La Digna Rabia y El Increíble Baile Calavera” no projeto Som no Salão, transformando o Salão de Atos da UFRGS, um dos palcos mais nobres da cidade, num grande salão de baile. No espetáculo, a banda atravessa ambiências que vão do romantismo exagerado, quase brega, da mais tradicional novela mexicana, à agressividade teatral da lucha libre.

Toda essa gama de sentimentos e sensações é apresentada ao público através da sonoridade intensa e da presença de palco contagiante dos anfitriões do Conjunto Musical La Digna Rabia. 

Sean tod@s bienvenid@s al Increíble Baile Calavera! 

A Banda:
Douglas Z. Benzi . trombone 
Gabriel Luzzi . trompete 
Hiro Okido . guitarra 
Marcelo Argenta . voz 
PH . baixo 
Pietro Duarte . saxofone 
Tavinho . percussão 
Tarcus Aguilar . bateria 

“Som no Salão” (Salão de Atos da UFRGS) | https://youtu.be/TRXd-pCauVg 
Matéria sobre a cena “mestiça” em Porto Alegre | https://goo.gl/M3PDi3


Contatos: 
todtprod@gmail.com | chtodt82@gmail.com 
whatsapp 51-996461682 (Christiano Todt)

4 de fevereiro de 2019

Editais logo mais >> voluntários | oficinas | intervenções | cobertura | banquinha

Salve, salve, amiguinhos!!

Logo mais, ao meio dia, abriremos inscrições pros editais abaixo. Confiram aí as informações e metam bala! ;)

Abertura:
04/FEV 12h00m

Quais?
- voluntários
- oficinas
- intervenções artísticas
- cobertura
- banquinha

Prazo:
18/FEV 11h59m

Basta acessar o menu EDITAIS aqui no nosso site, e escolher a inscrição correspondente. Mostra aí o que tu quer apresentar na décima edição do Pira!! Compartilhem e avisem todo mundo aí! :)
Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

1 de fevereiro de 2019

Ọ̀ṣẹ́ẹ̀túrá (Africa’n Jazz)

Ọ̀ṣẹ́ẹ̀túrá (Africa’n Jazz) é a soma de elementos culturais e rítmicos do povo africano à sonoridade e o fazer jazzístico. Dedicado em atuar artística e culturalmente na promoção e divulgação das artes fundamentadas na matriz africana de tradição Yorùbá, mostrando a riqueza e a beleza que marca a identidade desse povo. As apresentações contam histórias tradicionais musicadas, que são brevemente comentadas entre as músicas, criando um espaço de aprendizado que desperta a curiosidade acerca da inter-relação ocorrente entre as culturas africana e brasileira.
Foto: Ramon Moser.
O grupo é coordenado por Ìdòwú Akínrúlí, percussionista e dançarino nigeriano com experiência reconhecida em seu país. Ìdòwú já esteve em muitas cidades brasileiras, especialmente Belo Horizonte e Porto Alegre, onde realizou grande número de ações culturais com propósito de divulgar e esclarecer através da promoção de ações que fomentem o ambiente de difusão da cultura negra e de matriz Yorùbá.
Mantém também desde 2012 o grupo chamado ÌBEJÌ, com grande foco na dança e na música tradicional, de maneira mais estrita e sem fusões, com intúito de promover o estudo mais tradicional através da mitologia do povo Yorùbá.

No grupo Ọ̀ṣẹ́ẹ̀túrá (Africa’n Jazz) , as principais influências se originam dos ritmos tradicionais fundidos a instrumentação e improvisação jazzística, com referência no trabalho iniciado pelo músico nigeriano Felá Aníkúlápó Kútì (Felá Kuti), fundador do estilo musical Afrobeat. Este estilo foi popularizado na África na década de 1970 e se trata de uma combinação de jazz, Wórò, highlife e funk.

Este trabalho musical também tem por objetivo contribuir com a discussão acerca da contribuição das culturas africanas na formação da cultura brasileira. Onde podemos observar claramente em muitas festividades brasileiras o uso dos tambores somados aos elementos culturais e o sincretismo religiosos, como o Carnaval, o Maracatu, a Congada, Côco, Cavalhada e o Moçambique.

Noite dos Museus 2017 | https://goo.gl/ZGB9Be
Fela Day 2018 | https://goo.gl/BFCbQj

Dante Ramon Ledesma

O argentino Dante Ramón Ledesma, é um dos maiores músicos latinoamericanos, com mais de 20 álbuns gravados e 9 discos de ouro.
 
Nascido na pequena Rio Cuarto, na província de Córdoba, esse artista faz do seu canto maneira de viver e cantar a vida. Sejam gaúchos, argentinos, brasileiros, latinoamericanos, todos foram presenteados com músicas como Orelhano, Negro da Gaita, O Grito dos Livres, América Latina, A Vitória do Trigo, Yolanda e todas suas canções que ultrapassam os sotaques, as cores, os idiomas, os ritmos e as fronteiras.
 
Como o próprio Dante diz em uma de suas canções:

"não me basta sonhar ser pássaro e acordar assobiando misérias..."
 
Dante (voz e bombo leguero), é acompanhado pelos músicos Maximiliano Ledesma (voz e violão) e Gilmar Barela (violão), e com muito orgulho, anunciamos que estarão comemorando conosco a décima edição do Pira Rural.