24 de abril de 2017

Homenagem aos artistas e público do Pira 2017

Boa tarde Cascatinha, segue singela poesia em homenagem aos guerreiros musicais
e aos filhos da Cascatinha.

Pássaro das Boas Mensagens

O estilo improviso da Kombi CRMK
Atraiu muito Cuscobayo pro Sol na Cascatinha
Enquanto ligavam a Locomotiva Elétrica
Julião & Caramuru avistaram os Espantalhos Guardiões
Que ensinaram como receber Farabute

No alto da Cascata Gabriel Romano & Grupo
Mostravam escritas ancestrais em formato de Nobs
Paola Kirst entendeu Não Alimente os Animais
Depois ofereceu muitos Amplexos na Lua Cheia
Enquanto comia o Milho Sagrado de Solo Fértil

A comida caseira encantou Márcio Fülber & Bando
Do fogão campeiro de chapa Gross
Surfa & Os Pata Mansa estavam faceirotes
Vendo o público Zamba Ben o tempo todo
Era oitiséti e todos de Espora Elétrica

Neste instante nas montanhas ao Norte do Ricas Abóboras
Viu se algo como uma enorme Pata de Elefante
Tagore passarinho nordestino avoou para perto
Descobriu que era Guantánamo Groove & Orquestra Itaimbé
Trazendo as lindas sementes crioulas do Velho Hippie

A chegada das boas mensagens ao Quarto Sensorial
Fez a alegria pura contagiar toda Kula Jazz
A Pegada Torta de milho foi dividida entre os filhos
Quem provou dizia que o KIAI de mais gostoso na Páscoa
São as Flores da Mente e coração do Bioama Pira Rural

Poesia de Marcelo Tuito

12 de abril de 2017

Mais amor, menos barracas!!!


O cuidado necessário com o lixo!!

Olá amiguinhos...

A edição 2017 do Pira Rural está quase chegando, e como sempre fazemos na reta final, passamos pra falar das coisas importantes sobre a vinda e permanência no Festival.

O lixo
Ano passado fizemos um post pedindo cuidado com o lixo, em face de que a edição 2015 ter sido bem problemática nesse quesito. Em 2016, contando com a ajuda dos participantes, houve uma melhora bem considerável nesse ponto. E esse ano esperamos que seja ainda melhor! Contamos com a colaboração de todos pra que tudo ocorra da melhor forma possível nesse quesito!

Cada um é responsável pelo lixo que produz, e é importante que se de o fim adequado a cada tipo de lixo!

Durante o Festival teremos diversas lixeiras de diversos tipos esparramados por toda a área da Cascatinha!

Lixo seco
Foto: Gabriela Kliemann Dias
Haverão lixeiras para lixo seco em toda área de camping, assim como em diversos pontos próximos ao palco, bar e cozinha. Então cuidem para sempre utilizar as lixeiras! Todas embalagens plásticas, latas e outras coisas que são lixo seco, e que também constituem o maior volume de lixo do Festival, devem ir nessas lixeiras.

Se for lata, aproveite e amasse antes de jogá-la no lixo. Isso irá economizar espaço e otimizar o uso das lixeiras!

Lixo orgânico
Assim como ano passado, haverá uma lixeira exclusiva para lixo orgânico ao lado do lava pratos, localizado atrás da cozinha. Ao lado haverá um saco com serragem para cobrir o lixo orgânico!
Foto: Gabriela Kliemann Dias

As instruções estão escritas na plaquinha que fica junto a essa lixeira, mas já vamos aproveitar para repeti-las:

- jogue o lixo orgânico na lixeira;
- cubra completamente de serragem;

Assim não haverá mau cheiro, e a lixeira vira uma composteira com esse material orgânico depositado dentro juntamente com a serragem.

OBS: haverá na sexta-feira a oficina de compostagem e tratamento de resíduos! Neste momento os presentes também poderão conhecer o processo de tratamento da água do lava pratos através de uma bacia de evapotranspiraçao, uma inovação no festival. Participe!!

Bitucas de cigarro
As bitucas de cigarro também tem um lugar específico para serem depositadas. Haverão diversas latas com areia, chamadas por nós de "atola bituca", que são exclusivas para depositar bitucas de cigarro. Haverão diversos "atola bituca" espalhados também na área do Festival.

Mas atenção: são para depósito exclusivo de bitucas de cigarro!! Não são para latas, nem pra restos de comida pessoal!!!

Restos de acampamento
Haverá um local, próximo a entrada/saída do Festival, sinalizado por placa, onde deverão ser depositados exclusivamente esses restos de acampamentos. Ao final do Festival, quando estiverem indo embora, caso ocorra algo do que foi descrito acima, recolha, dobre pra economizar espaço, e largue nesse local. Ela é exclusiva para:

- pedaços de barracas;
- locas rasgadas/furadas/sujas;
- colchões infláveis furados;

Não deixe nada para trás na área de camping! É obrigação de quem participa recolher tudo o que trouxe junto. As demais lixeiras de lixo seco são para itens pequenos, sendo essa lixeira - próximo ao local de entrada/saída da Cascatinha - de uso exclusivo para esses restos de acampamento.

Cuidado com garrafas de vidro
Como aconteceu nos últimos 2 anos, haverá comercialização no Festival da cerveja Gringa, em garrafas de 600ml, Essas garrafas são de vidro, e elas podem se quebrar caso caiam no chão. Tomem cuidado no manuseio dessas garrafas ou qualquer outra garrafa/objeto de vidro, pois muitas pessoas circulam de pé no chão pelo Festival.

Em caso de dúvidas, falem conosco que passamos orientações.
O que não vale é deixar lixo atirado na Cascatinha na hora de ir embora folks! Contamos com a colaboração de todos pra mantermos o local limpo e organizado após nossa passagem no feriadão de páscoa, para que assim possamos continuar usufruindo desse belo lugar!

Abraço a todos e até sexta-feira! :-)
Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

11 de abril de 2017

NÃO ESQUEÇAM!!!


Ornamentação Corporal

Salve, salve, amiguinhos!!

Produção na reta final, mas ainda há tempo para divulgar mais uma intervenção artística... :)

Foto: Divulgação.
Ornamentação Corporal

A ornamentação corporal é uma intervenção nômade que vai à pele dos que tripulantes do festival. Tem suas bases na tatuagem e na geometria, usando a técnica de decalque, que como praticamente instantânea possibilita a construção de padrões/disposições que podem se espalhar pelos corpos das mais diversas maneiras. Ou seja, os desenhos ali disponíveis poderão ser personalizados a partir de deslocamentos, sobreposições, repetições, e o que mais vier à mente.

Aproximando o público ao processo de produção, o material e o conhecimento dos artistas estarão disponíveis a quem quiser se atrever a explorá-los. Integraremos corpos/desenhos uns aos outros, ao espaço e às ideias, resultando em criar mais elementos a serem misturados e admirados ao olhar de quem estará presente.

Foto: Divulgação.

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

10 de abril de 2017

RECADOS IMPORTANTES - Leiam com atenção!

Salve, salve, amiguinhos!!!

Pira Rural 2017 está se aproximando, e como sempre fazemos nessa época, estamos passando pra deixar alguns recados muito importantes pra todos!! Por favor, leiam tudo e com atenção!!!!

  • Os ingressos estão esgotados e NÃO HAVERÁ venda de ingressos na hora!! Se você não possui ingresso, não adianta vir, que será barrado!! Contamos com a colaboração de todos!! ;)
  • As porteiras da Cascatinha abrirão pontualmente as 9:00 horas da manhã de sexta-feira, dia 14. Se chegarem antes, terão que esperar! Por favor respeitem a ordem de chegada;
  • Não aceitamos cartões de crédito/débito. Todas as transações financeiras são somente em dinheiro;
  • O funcionamento da cozinha será das 8:00 da manhã até meia noite. Não percam a hora! 
  • Esse ano haverá novamente a venda de lanches ali na lateral do lonão, fora da cozinha. Será vendido pão com moio, também com opções veganas, suco natural e chás. O funcionamento será das 10:00 da manhã até as 19 horas.
  •  E teremos novidades!! Das 18 horas até as 2 da manhã (ou além havendo demanda), haverá PIZZA disponível para venda! Amplamente testada e aprovada!! :) 
  • Todos devem trazer junto os itens necessários para comer e beber: CANECA, PRATO, GARFO/FACA/COLHER! Não haverá disponível no Festival, então cada um tem que trazer o seu!!!  Ah, a colher é pros caldos que rolam à noite! ;)
  • Haverá próximo aos banheiros um lavador de pratos, talheres e canecas!
  • Todos os dias, as fichas de almoço serão vendidas das 10 da manhã até as 12:00 horas para o almoço do dia, exceto na sexta-feira, que vai até as 13:00 horas. A comida é feita de acordo com a quantidade de fichas vendidas. Haverá almoço colonial e vegano! O almoço é servido até as 14:00 horas. Não perca a hora, porque depois disso, somente lanches;
  • É permitido que tragam comida ao Festival. Inclusive, recomendamos que todos tragam algumas frutas ou outros lanches pra não haver problemas. Mas pedimos encarecidamente que não tragam bebidas alcoólicas, pois o Festival é 100% independente, e dependemos das vendas dos produtos para que o mesmo seja viável.
  • Não esqueça dos itens de sobrevivência: lonas para cobrir a barraca, assim como lona pra por embaixo da mesma; lanterna; saco de dormir ou cobertas; agasalho pras noites frias; 
  • Fiquem atentos à previsão do tempo pra Ibarama, pra não passar aperto! Esse site é tiro e queda: http://www.cptec.inpe.br/cidades/tempo/2292
  • Não temos tomadas disponíveis para puxar extensões pros acampamentos pessoal. Melhor colocar o bom e velho liquinho junto na mochila, ou aquela lanterna esperta no bolso;
  • Vem pra Cascatinha, traz uma blusinha!!! Lembre-se que faz frio e é úmido no meio do mato, então tragam roupas quentes pra usar durante e noite e ficarem bem protegidos.
  • Pra todos acamparem bem, vamos economizar espaço dividindo barraca com os amigos, amigas, irmãos e camaradas, e assim garantir maior conforto pra todos. Mais amor, menos barracas! Entre você também nessa campanha;
  • Haverá banca/bazar pra comercialização de CD’s e itens das bandas, além de camisetas, artesanato e outras coisas mais. Se você tem interesse, traga uma graninha extra aproveitar o que houver lá!!
  • O Pira Rural é um festival no meio do mato, e por isso, estamos invadindo o espaço naturalmente ocupado por inúmeros animais. Pra evitar sustos, mantenham as barracas fechadas pra evitar a entrada de aranhas, insetos e afins. Também sempre confiram o interior de tênis e botinas antes de calça-los, pois podem haver insetos do mesmo jeito. Vamos aproveitar tudo sem sustos! ;-)
  • Tome cuidado na Cascata!! Seja cauteloso;
  • ATENÇÃO: lugar de lixo é nas lixeiras! Contamos com a colaboração e consciência de todos pra evoluirmos cada vez mais nesse quesito!
  • Para tudo fluir bem no Festival, recolha seu lixo, amasse suas latas (pra reduzir o volume) e coloque-as nas lixeiras, não desperdice água (banhos e sanitários), e ajude a cuidar das pessoas a sua volta. O Festival também é feito com a ajuda de vocês.

Aproveitem bem, que o Pira Rural é composto por todos!
Bom Festival para todos, e nos vemos na Páscoa pessoal!! :)

Sonorização Poética

Foto: Divulgação.
Salve, salve, amiguinhos!!

Faltando 4 dias pro Pira 2017, ainda temos novidades...

Sonorização Poética

"Troco um minuto do seu tornar  sonoro por uma poesia. 
A Instalação/intervenção constitui-se de uma mesa com uma toalha colorida cheia de objetos sonoros coloridos(percussão), um relógio(ampulheta) e uma máquina de escrever. 

Um cartaz anuncia a proposta da intervenção, que exigi apenas um minuto de ação dos envolvidos. O participante precisa  apenas escolher um objeto sonoro e produzir sons durante um minuto, cronometrado pelo relógio ou ampulheta, neste tempo a partir do objeto escolhido e som produzido pelo participante o Personagem escreve um poema na máquina de escrever e presenteia o mesmo com o texto."
Foto: Divulgação.

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

9 de abril de 2017

Fairbanks - Fotografia de Natureza

Salve, salve, amiguinhos!

Se vocês achavam que não havia mais nada pra divulgar, muita calma nessa hora! :)
Pela primeira vez teremos no Pira uma exposição de fotografias. Sintam um gostinho do que estará lá para ser admirado... :)
Foto: Gui Benck

Sobre o Fairbanks

Fairbanks tem como objetivo provocar o questionamento do indivíduo em relação ao universo e, consequentemente, desenvolver o autoconhecimento. 

Tudo começa com um sopro. A vida em um grão de poeira. E se vivemos em um grão, o que somos? Em meio a uma corrida contra o tempo, alguém olhou para o céu e ouviu o silêncio. Já não existia mais tempo. “Por que corro?” parou e olhou ao seu redor. Caos, pressa. Todos viam, mas estavam cegos. No meio da confusão, uma folha caía da árvore dançando junto ao vento. Fechou os olhos e balançou com ela até cair no chão. De um lado para o outro. Leve. Quem serei amanhã? Quem sabe o vento. O sopro. 

Somos únicos 
Somos um nada 
E um universo 
Ao mesmo tempo

Foto: Gui Benck
Foto: Gui Benck

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

8 de abril de 2017

Programação Oficial - Festival Pira Rural 2017

Confiram aí a programação oficial do Festival Pira Rural 2017!!!
Não vai perder nada vivente!! :)

14/ABR - Sexta-feira
09:00 Abertura das Porteiras da Cascatinha
14:00 Kombi CRMK (Show na Cascatinha)
14:30 Trilha guiada para a Cascata (Oficina)
16:00 Caramurú e Julião  (Show - da Cascatinha para o Ricas Abóboras)
16:00 Introdução ao Bambolê (Oficina)
16:00 Compostagem e Tratamento de Resíduos (Oficina)
17:30 Zambaben (Porto Alegre/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
19:00 Farabute (Porto Alegre/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
20:30 Solo Fértil (Pelotas/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
22:00 Kiai (Rio Grande/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
23:30 Tagore (Recife/PE - Show no Palco Ricas Abóboras)
01:00 Amplexos (Volta Redonda/RJ - Show no Palco Ricas Abóboras)
02:30 Não Alimente os Animais (Caxias do Sul/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)

15/ABR - Sábado
10:30 Dança Afro-Brasileira Contemporânea (Oficina)
11:00 Cristais do Poder - Cristaloterapia e Macramê (Oficina)
12:00 Paola Kirst (Rio Grande/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
13:20 Gabriel Romano & Grupo (Porto Alegre/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
14:15 PiraTur - Mão na Terra (Oficina)
14:30 Trilha guiada para a Cascata (Oficina)
14:50 Pegada Torta (Santa Maria/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
15:00 Cosméticos Naturais (Oficina)
16:00 Ginger Beer (Oficina)
16:20 Márcio Fülber & Bando (Novo Hamburgo/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
17:50 Cuscobayo (Caxias do Sul/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
19:20 Kula Jazz (Porto Alegre/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
20:50 Quarto Sensorial (Porto Alegre/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
22:22 Guantánamo Groove & Orquestra Itaimbé (Santa Maria/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
23:50 Pata de Elefante (Porto Alegre/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
01:20 Gross (São Paulo/SP - Show no Palco Ricas Abóboras)
02:50 NOBS (Porto Alegre/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)

16/ABR - Domingo
10:30 Hatha Yoga Flow (Oficina)
10:30 Artesanato em Palha de Milho Crioulo (Oficina)
12:20 Velho Hippie (Caxias do Sul/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
13:30 Flores da Mente (Sobradinho/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
14:00 FOTO Oficial (na ladeira, acima do estacionamento)
14:30 Locomotiva Elétrica (Venâncio Aires/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
15:30 Surf e os Pata Mansa (Sobradinho/RS - Show no Palco Ricas Abóboras)
16:00 Palco Livre (Abertura com Espora Elétrica - Passo Fundo/RS)

Oficina: Compostagem e Tratamento de Resíduos

Salve, salve, amiguinhos!!

Pensando em oficinas que tragam aventura e diversão, elevem o espírito e auxiliem o corpo e a mente, mas que também tragam benefícios em prol da natureza que nos rodeia e que tanto amamos, trazemos essa atividade para agregar em cada um, e que isso se transmita e se transforme num todo...

Oficina de Compostagem de Resíduos Orgânicos
Facilitador: Diego França e Pamela Zulian
Duração: aproximadamente 1h
Número de participantes: Ilimitada

A oficina abordará o seguinte conteúdo para os participantes:
- Compostagem e desperdício
Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.
-  Aproveitamento integral dos alimentos
-  Por que compostar
-  Separação dos resíduos
-  Métodos/técnicas de compostagem
-  Relação C:N
-  O que compostar
-  Como construir a composteira
-  Montagem da leira
-  Uso do composto
-  Aeração do composto
-  Vermicompostagem
-  Problemas freqüentes com a compostagem
-  Microorganismos eficientes

E pretende atingir os seguintes objetivos:
-  Ampliar os conhecimentos sobre o processo de compostagem de resíduos orgânicos;
-  Promover a replicação da prática de compostagem;
- Religar o ser humano com os ciclos da natureza.

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

Oficina: Introdução ao Bambolê

Bom dia amiguinhos!!

Começando esse sábado com mais uma atividade do Pira 2017. Faltando menos de uma semana pro Festival, estamos na penúltima oficina a ser anunciada...

Oficina: Introdução ao Bambolê
Máximo de participantes: 15 pessoas
Tempo de duração: 1 hora e 30 minutos à 2 horas

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.
Esta oficina tem como propósito utilizar o bambolê como ferramenta de transformação, empoderamento, auto-conhecimento e descoberta do corpo.

Conduzida de forma lúdica e leve, busca o movimento não-performático aliado a sensação de prazer, permitindo-se existir através do bambolê e compreendendo-o como extensão do corpo. Abre espaço emocional gerando uma relação entre mente-corpo-objeto, atuando também como forma de meditação, dança e brincadeira.

Quem sou eu:
Olá, eu sou a Rapha Rodrigues 
Há mais ou menos dois anos comecei a brincar e existir através do bambolê. De uma forma autodidata, adentrei e conheci a magia que existe no universo bambolístico, podendo assim enxergar o bambolê como mais uma ferramenta de extensão do meu corpo, empoderamento e transformação.

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

7 de abril de 2017

Oficina: PiraTur - Mão na Terra

Salve, salve, amiguinhos!!

Passando pra divulgar aquela oficina que desde que surgiu, não pode mais faltar no Pira Rural... :)

Seu Mário e Dona Renilde nos convidam para uma vivência inédita no:

Pira Tur: Mão Na Terra
Duração: aproximadamente 3 horas
Número máximo de participantes: 25 pessoas
Material sugerido: câmera fotográfica, roupas e calçados confortáveis

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.
Ex-monocultores de fumo, realizaram o processo de transição agroecológica em meados de 1992. 

Essa decisão transformou a realidade da família, que passou a contar com uma maior diversidade de alimentos orgânicos para o consumo e comércio, seguido de uma grande transformação na paisagem da propriedade, o que segundo Dona Renilde, trouxe a motivação necessária para transformar o trabalho em fonte de renda e prazer. 

Seguem rumo ao desenvolvimento rural sustentável, buscando na harmonia com a natureza a inspiração para continuar esse trabalho.

Adeptos a conhecer e aplicar novas formas de produção, nos convidam a participar da construção coletiva da primeira horta na propriedade a utilizar técnicas permaculturais.

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.
Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.

Essa vivência tem como objetivo, relembrar através da experimentação, o sentir-se parte da natureza, abrindo um caminho de ressignificação de nossas memórias e empoderamento para a construção de nossas histórias, unificadas e em cooperação.

Facilitadores: 
- Diego França – Biólogo e permacultor, praticante e facilitador de vivências, palestras, cursos e oficinas envolvendo práticas de agricultura biodinâmica/natural, permacultura e bioconstrução.
- Diego R. da Silva – Formado em Agronomia, mestrando em Agricultura Familiar pela UFPEL. Atualmente reside na mesma localidade e interage com as atividades da Família Raminelli.
- Suélen Tichz – Estudante e experimentadora das práticas que interagem com a Terra, teve sua primeira experiência junto a família Raminelli no ano de 2015. Hoje realiza suas pesquisas junto ao coletivo Casa Encantada em Caxias do Sul/RS.

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

Oficina: Artesanato em Palha de Milho Crioulo

Salve, salve, amiguinhos!!

Passando pra divulgar mais uma oficina, essa pela primeira vez no Festival... :)

Oficina: Artesanato em Palha de Milho Crioulo
Duração máxima: 1 hora e 30 minutos
Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.
Máximo de participantes: 15 pessoas

Quem pensa que o milho ou o trigo servem apenas para alimentação animal ou para o preparo de deliciosos pratos está enganado. A utilização da palha desses cereais é fonte de renda para os integrantes da Associação dos Artesãos de Ibarama.

Os trabalhos artesanais, geralmente nas horas de folga da lavoura, apresentam várias técnicas. Porém, a prioridade na atividade é no uso do milho e do trigo em função do projeto de resgate das sementes crioulas no município. Além do agricultor plantar para ter a semente, o artesanato gera mais uma renda para as famílias e agrega valor à matéria-prima. O artesanato no meio rural de Ibarama serve também para resgatar antigos hábitos, como a visita e a troca de saberes entre as pessoas. 

Entre os itens que são feitos de palha estão: Chapéu, bolsa, flores, guirlanda, quadros, abajur, porta retrato, garrafas decoradas, arranjos de parede, anjinhos, passarinhos, bonecas, bauzinhos, cestinho, descansa panelas, entre outros.

Com relação a oficina no Pira Rural, será uma oportunidade para aprender a fazer uma flor com palhas de milho crioulo.

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.
Orientadora: Renilde Raminelli, residente do município de Ibarama, e que costumeiramente recebe os visitantes do Festival durante o PiraTur junto com seu Mário, seu marido. Essa vez ela ainda vem ao Festival ensinar um pouco do que mostra em sua propriedade aos visitantes.

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.







6 de abril de 2017

Oficina: Trilha para a Cascatinha

Salve, salve, amiguinhos!

Depois da chuva impossibilitar que ocorresse ano passado, esse ano a trilha para a Cascatinha está de volta!! :)

Oficina: Trilha para a Cascatinha
Número máximo de participantes: 15 pessoas
Tempo: 1 hora e 20 minutos
Nível: Difícil

Foto: Maukan.
Durante o festival será possível participar de uma trilha que leva à parte superior da Cascata. A trilha será realizada através de uma pequena “escalada” pela lateral esquerda da Cascatinha, onde será possível observar toda exuberância da Mata Atlântica nativa da região. Esta vegetação consiste em lindas bromélias, orquídeas, arbustos e árvores muito bem preservadas. 

Também é possível identificar as ruínas do canal que era utilizado para girar uma roda d’água de um antigo Moinho (Azenha). E para finalizar o participante será recompensado com uma visão magnífica da cascata, um ângulo de visão exclusivo e deslumbrante que compensará todo esforço. 

Orientador: Dione Krise. Bacharel em Ciências Biológicas/Ecologia; Possui Pós-Graduação em Biocombustíveis, Experiência em Biologia da Conservação no Projeto Tamar (ICM – Bio),  Gestão Ambiental Pública e atualmente é Sócio - Proprietário da Ambitek Assessora Ambiental.

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

Oficina: Cristais do Poder - Cristaloterapia e Macramê

Bom dia amiguinhos!!

O Pira 2017 já se aproxima no horizonte, e ainda temos algumas atividades pra divulgar por aqui...

Oficina: Introdução à Cristaloterapia - Cura através dos Cristais e Confecção de um Amuleto de Poder
Máximo de participantes: 12 pessoas
Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.
Tempo de Duração:  2 horas

Essa vivência trará um breve conhecimento desse mundo infinito dos Cristais, apresentando para os participantes cerca de 20 minerais e suas propriedades terapêuticas no corpo físico, mental e espiritual.

Na sequência, faremos um trabalho intuitivo onde os participantes escolherão um cristal “às cegas” e com ele faremos um amuleto artesanal, utilizando a técnica de Macramê.

- Cada participante ganhará um “Mini Guia dos Cristais”.
-Folheto especial sobre o Cristal escolhido.
-E um lindo colar artesanal.

Observação: trazer algo para sentar (canga, almofada, tapete, esteira...).

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.
Ministrantes: Eduardo e Cíntia da @Macrameria OmStock. Artistas Independentes e Caminhantes do Universo. Uma casal que gira  com o mundo, uma Brasília Amarela e uma cachorrinha, espalhando Amor em forma de Arte!

instagram:  macrameria_omstock

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo




4 de abril de 2017

Oficina: Dança afro-brasileira contemporânea

Salve, salve, amiguinhos!!!

Na corrida, passando pra divulgar mais uma oficina!! Pra botar o gingado em dia.. :)

Oficina: Dança afro-brasileira contemporânea
Limite de participantes: 20 pessoas
Duração: 1 hora

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.
Esta oficina tem como objetivo proporcionar uma experiência corporal que estimule a prática, a valorização e a conscientização sobre o papel da cultura de matriz africana, sua importância como dança ancestral na formação da cultura brasileira e sua contribuição para o desenvolvimento da dança contemporânea.

Utilizando as danças sagradas dos ORIXÁS, a oficina tem capacidade para 20 pessoas.

É organizada em três momentos com uma hora de duração: Alongamento e aquecimento, movimentos estéticos e performáticos dos orixás e seus arquétipos. E por fim, uma partitura coreográfica.

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.
Facilitador: Charles Ferreira é educador social, ator e bailarino. Atualmente integra o Grupo de contadores de historias HISTÓRIAS DA MÃE ÁFRICA, cujo trabalho deriva de suas pesquisas nas danças de matriz africana, as relações da mitologia ioruba sobre as vulnerabilidades sociais encontradas em nossa sociedade, a reflexão desses contos como fonte de empoderamento e expansão para a reconexão com essas forças divinas da natureza, as corporalidades cênicas e estados do corpo.

Integrou o Grupo Experimental de Dança da Cidade de Porto Alegre como aluno, tendo aulas diárias de diversas técnicas com professores renomados e participando das suas montagens. Desde 2007 participa de grupos de teatro e dança, qualificando suas pesquisas artísticas, buscando conhecimento com mestres nacionais e internacionais.

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

3 de abril de 2017

A kombi que viaja pelas trilhas do mundo também passa pela Cascatinha

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.
Salve, salve, amiguinhos!!

As atrações no palco já estão divulgadas, mas fora dele, ainda temos muita coisa boa pra anunciar!! :)

kombi crmk
"crmk é uma ideia que se abre na itinerância da vida de um entusiasta da música espontânea, o Pé. Há mais de dois anos ele tem viajado tocando pelas ruas da América do Sul e levando um palco aberto itinerante, catalizando experiências de interação entre artistas, principalmente do campo da música... O cara viaja com um palco e faz som com as pessoas de cada região.

Agora rumo norte-sul, a ideia é juntar o time do RS e SC. Mostrar um pouco do que se aprendeu a criar nessa estrada. Estruturar umas bandas. Segurar a Jam de domingo. E curtir os doces e amargos que acompanharem o sagrado cacau desse feriado cristão...
Vamo botar esse palco pra funcionar na Cascatinha!"







Pra saber mais: facebook.com/kombicrmk
E no youtube

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

30 de março de 2017

Oficina: Cosméticos Naturais

Salve, salve, amiguinhos!!

Agora voltamos ao embalo de sempre, e já ta saindo mais uma bela oficina para os visitantes da Cascatinha... :)

Oficina: Cosméticos Naturais
Duração: 3 horas
Número de participantes: 15 pessoas
Facilitadoras: Ana Flávia de Oliveira

A oficina de cosméticos artesanais, além de propor uma conversa sobre o uso de produtos industriais e os malefícios dos mesmos ao nosso organismo e ao meio ambiente, visa a produção, e experimentação, ao fazermos juntos algumas receitas de cosméticos artesanais, todos veganos (sem o uso de ingredientes derivados de animais). 

A proposta é produzir três possibilidades de pasta de dente, duas em creme e uma em pó. Dois tipos de desodorante, um em creme e outro líquido, para ser usado em spray. Além disso, um repelente e um enxaguante bucal natural.

Foto: Divulgação.

Passarei a receita de outros cosméticos, como hidratante, máscara de argila, batom, shampoo e condicionador. E também métodos de lavar roupas e limpar a casa sem o uso de produtos químicos industrializados. 

Atenção: Será necessário que os participantes da oficina levem pequenas embalagens para que possam levar consigo uma amostra dos produtos realizados na oficina. :)

https://www.facebook.com/cosmeticoartesanal

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

Oficinas: Ginger Beer - fermentação em casa

Foto: Divulgação.
Salve, salve, amiguinhos!!

As coisas andaram lentas aqui nos anúncios nos últimos dias por motivo de força maior, mas já estamos em plena atividade novamente..
E vem aí mais uma oficina para os interessados em atividades além do palco! :)

Oficina: Ginger Beer – fermentação em casa
Duração: 1h30 a 2 horas
Número de participantes: Até 20 pessoas
Oficineiro: Matheus Francez

A ginger beer é uma bebida simples, feita à base de água, açúcar e gengibre e fermentada por alguns dias, tornando-se uma bebida refrescante, gaseificada, leve e de baixo teor alcoólico, lembrando (e podendo substituir) os refrigerantes que estamos acostumados a tomar, sendo uma alternativa saudável.

Além da receita base da ginger beer, os participantes terão contato com a cultura de leveduras natural do gengibre, conhecida como “ginger bug”. Este, cultivado à partir de leveduras selvagens da casca do gengibre, é o fermento utilizado para a fermentação da bebida.

Foto: Divulgação.
Com a oficina de Ginger Beer pretendo simplificar a visão da fermentação, deixando de lado todo o mistério por trás das bebidas fermentadas que estamos acostumados, como cerveja e vinho, e entrando em um novo ambiente, fazendo uma bebida de fabricação rápida e barata.

Para melhor dinâmica da Oficina, pretendo apresentá-la em algumas partes:

  • Introdução à fermentação
  • Ginger Beer e a história
  • Drink do momento: Moscow Mule
  • Ginger Beer x Ginger Ale 
  • Receita base para Ginger Beer e Ginger Bug (cultura de leveduras feita à partir da casca do gengibre, fornecendo um fermento natural para inúmeras receitas)
  • Degustação

Como eu terei um vidro com “ginger bug” ativo no festival, quem quiser levar um pouco da mistura para continuá-la em casa, alimentando com mais gengibre, água e açúcar e fazendo futuras receitas, pode levar uma garrafa, pote de vidro ou algum outro recipiente pra levar para casa, continuando assim a cultura que já está iniciada. 

Vou disponibilizar um pouco de iodo para fazer a sanitização destes recipientes, evitando alguma contaminação com outra bactéria.

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

28 de março de 2017

Oficinas: começando pela mais tradicional...

Salve, salve, amiguinhos!!

Um pouco atrasado, mas sempre em tempo, começamos a divulgar as oficinas que irão rolar no Pira 2017! E como não poderia ser diferente, iniciamos pela mais tradicional de todas! :)

Oficina: Hatha Yoga
Duração: 1h

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.
Sobre: O corpo é o templo que abriga nossa alma, com esse conceito podemos explicar a prática de Hatha Yoga, pois nessa prática o corpo torna-se ferramenta para o autoconhecimento. Como você cuida dessa ferramenta? Como está sua respiração? E a fluidez dos seus pensamentos? Você responde apenas de forma inconsciente, pois seu eu real está encoberto por condicionamentos?
 A prática que envolve asanas (posturas), pranayamas (exercícios de respiração e controle de energia), relaxamento e meditação, com o objetivo de equilibrar e aquietar a mente.
As posturas são feitas de maneira lenta e concentrada, sendo indicadas para TODAS as pessoas, desde as que já praticam yoga, até aquelas que desejam conhecer e experienciar essa linda prática. Cada postura será executada de acordo com as capacidades físicas do praticante.

Atenção: É necessário apenas usar roupas confortáveis, evitar alimentação pesada antes da prática e levar seu tapete de yoga/canga/toalha para estender no chão.

Sobre a instrutora: Raquel Backes é yoguini, acadêmica de Psicologia, praticante de meditação e Yoga, formou-se em Hatha Yoga pela escola Yoga Nilaya de Novo Hamburgo/RS e dá aulas, atualmente, em Taquara/RS. Passou 2 meses na Índia, onde pode conhecer a origem desta sabedoria sagrada, praticar em diversos lugares e ter uma rotina de autoconhecimento e disciplina. É apaixonada pelo autoconhecimento, pelo bem-estar e pela espiritualidade.

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

23 de março de 2017

Colocando as máquinas pra funcionar

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.
Salve, salve, amiguinhos!!

O Pira 2017 se aproxima aos poucos, e temos muita coisa pra divulgar ainda!!! Mas as atrações do paco Ricas Abóboras estão chegando ao fim, felizmente em grande estilo. E é de Venâncio Aires que vem os amigos da Locomotiva Elétrica.

O som da Locomotiva Elétrica é instrumental, e possuí a característica curiosa de não possuir baixo. Rótulos como música progressiva e psicodélica já foram sugeridos, mas a banda prefere acreditar que faz o bom e velho rock and roll.

A banda Locomotiva Elétrica é formada por Lucas Elsenbach (bateria), Lucas Stein (teclado) e Murilo Neumann (guitarra). Formada em meados de 2014, em Venâncio Aires, a partir de jams feitas por amigos. Surgiram as primeiras composições e a banda estreou nos palcos em Maio/2015. De lá pra cá foram várias apresentações em festivais independentes da região, como o Ensaio Geral e o Vênus Rock e em diversas cidades do RS, como Lajeado, Cruzeiro do Sul, Canoas, etc. Ainda no fim de 2015, a banda fez seu primeiro show fora do estado do RS, no Festival reVirada Bruxólica (São Francisco do Sul/SC).


Em outubro/2016 a banda lançou o primeiro EP “Manual dos Delírios Cotidianos”, via Umbaduba Records. O EP vem com 5 músicas – Karma, Bergamota, Difusão, Sabbathagem e Quintal - todas autorais e compostas pela banda. A produção fica por conta do Marco Bueno, da Umbaduba Records, e da própria banda.

Em novembro de 2016 a banda conquistou o primeiro lugar entre as bandas no Festival Viva UNISC, da Universidade de Santa Cruz do Sul, que contou com a participação de 10 bandas pré-selecionadas. Como premiação, a banda irá gravar 2 músicas a serem lançadas em 2017 e a gravação de um vídeo clipe. O vídeo clipe foi lançado em março de 2017, com a música Karma sendo a escolhida de tema.


Sendo influenciados pelo rock dos anos 60 e 70, em bandas como Led Zeppelin, Pink Floyd, Black Sabbath, Deep Purple, etc., a banda cita como principal influência a cena independente brasileira, onde diversas bandas fantásticas estão lutando para fazer seu som de maneira independente, assim como inúmeros festivais de música lutam na raça para mostrar esse som e ceder espaço para essas bandas, fazendo com que os próprios integrantes da Locomotiva acreditem no próprio som e no ato de mantê-lo vivo.

Facebook
YouTube
SoundCloud
Bandcamp

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

21 de março de 2017

As vozes do sul

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.
Salve, salve, amiguinhos!!

Reta final das atrações musicais do Pira 2017!!! Faltando menos de um mês para o Festival, vamos divulgar a penúltima atração dessa edição...

Essa moça colorida aí é Paola Kirst, ela vem do extremo sul do RS, Rio Grande. 

Artista visual, cantautora e percussionista.

Paola busca diferentes caminhos para uso da voz e do corpo como instrumento musical e de expressão artística. Cria melodias a partir dos ruídos urbanos, batuca nas louças do café da tarde e se debruça criativamente sobre estes instantes transformando-os em música. 

Seu trabalho autoral bebe da fonte do samba às vertentes jazzistas, do grito ao sussurro sendo orquestrados pela sintonia promovida entre o piano de Marcelo Vaz, baixo de Dionísio Souza, bateria de Lucas Fê e a peça fundamental do jogo: a voz. 



Dentre algumas mostras de seu projeto solo por Rio Grande e Porto Alegre, destacamos sua apresentação no formato piano e voz abrindo o show da cantora Vanessa da Mata, no Theatro Guarany em Pelotas.

Em suas canções Paola trata do cotidiano vivenciado pelo olhar feminino, sensível, experimental e faminto de uma artista. Faz questão de evidenciar suas parcerias musicais com poetas como Carlos Medeiros, Thielle Pinho e Thiago Madruga e também apresentar obras de jovens compositores e amigos como Andrei Corrêa (Trem Imperial) e Cleiton Oliveira (Goiaba de Casa).



Paola integra outros projetos musicais como a trupe Goiaba de Casa e o coletivo de compositoras Vulvaê. No momento a cantora se prepara para gravar o seu primeiro EP.

(53) 98436-9019
paolakirst@gmail.com
Facebook
You Tube
Instagram

Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

20 de março de 2017

Do rock psicodélico aos ritmos afro-latinos, com sotaque fluminense!

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.
Salve, salve, amiguinhos!!

Como tem rolado nas segundas por aqui - dia de muitas novidades - tem mais uma atração saindo do forno do Pira 2017. De Volta Redonda (RJ) para Ibarama, no coração do Rio Grande, Amplexos.


São 10 anos de trabalho ininterrupto pela música, construídos a partir da entrega total e diária. Com o lançamento de ‘Sendeiro’, seu mais recente trabalho, o coletivo Amplexos, de Volta Redonda-RJ, já soma 4 álbuns de estúdio (Amplexos, 2008 / A Música da Alma, 2012 / A Música da Alma DUB, 2014 e Sendeiro, 2015), além de participações em coletâneas e o single Jerusalem (2014).



É o peso dessa história de garra e inspiração que o coletivo tem levado aos palcos com seu novo show, recentemente apresentado no Sesc Barra Mansa-RJ, Sala Funarte Sidney Muller (Rio de Janeiro-RJ) e Memorial da Classe Operária (Ribeirão Preto-SP), com sucesso de público e crítica. No espetáculo, estará o repertório completo do álbum, além das já conhecidas canções do disco A Música da Alma, intervenções interativas com o público e improvisos DUB/jazzísticos.



A mistura de rock psicodélico com ritmos afro-latinos e a mensagem espiritual do grupo colocam o Amplexos entre os principais representantes da música contemporânea do Rio de Janeiro, com apresentações altamente vibrantes e hipnóticas, carregadas das frequências graves do dub e do calor do funk/afrobeat. Em ‘Sendeiro’, o grupo, que já trabalhou com nomes como Mad Professor, Buguinha Dub, Victor Rice, The Scientist, Marcelo Yuka, Oghene Kologbo e outras figuras importantes da música mundial, busca ampliar o alcance de sua mensagem com letras mais diretas e a força de quem encara a música como uma missão para despertar a consciência das pessoas.


Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo

Black music para abóbora swingar

Foto: Divulgação/Montagem: Pira Rural.
Salve, salve, amiguinhos!!

Segunda-feira sempre é dia de notícias!! A primeira do dia vem chegando depois do almoço: da capital para o Pira Rural, Zambaben.

O termo "Zamba" significa a miscigenação de raças e mistura de ritmos; e "Ben" é a singela homenagem prestada ao cantor Jorge Ben Jor, alquimista da música brasileira. Desde o início, a banda oferece ao seu público o melhor da música nacional, deixando em evidência o clássico da cultura Black. Por este motivo, a identidade visual é representada pelo logotipo estilo “Black Power”. 

Com o balanço do violão e voz, Leandro Rosa faz frente com o agito e a harmonia ao público da Zambaben. Já nos toques das congas e do pandeiro com muito groove, o conjunto de percussão tem a dupla Wagner Vieira e Anderson Moreira. Para dar a suavidade, Alan Reis traz o brilho do compasso sutil do contrabaixo. O trabalho autoral vem em larga escala, com a já conhecida, "Vou Morar na Lua", além de "Filosofia de Bamba" e "Flores na Favela" - com influências clássicas da música negra como Jorge Ben Jor, Tim Maia, Bedeu, o reggae de Ultramen e Produto Nacional, o rock de O Rappa, entre outros. O público da Zambaben canta e expressa seu carinho pelas composições próprias, que vêm desde o suingue e balanço, do groove e do funk, delineando características marcantes, até mesmo às canções retratadas pelo romantismo. Afinal, como diz a canção “Discreto”: “O que vale nossos dias é ser feliz, andar por cima da rotina e sempre achar um bom motivo pra não desistir e procurar um bom romance pra se distrair”.

A Zambaben realiza o projeto sociocultural conhecido pelos porto-alegrenses, o "Roda de Zamba". Neste evento, os integrantes convidam músicos e bandas a trazerem a alegria em um dia de domingo, no mínimo uma vez ao ano, para quem descansa curtindo um pôr-do-sol e um bom chimarrão nas dependências do Parque Marinha do Brasil.




Festival Pira Rural
Coletivo Clube Mundo