5 de abril de 2013

Populosa e encantada Cascatinha!

A Cascatinha nunca acolheu tanta gente! Foram três dias de sol, calor, frio, música, bebida, comida, fogueiras, barracas, cachoeira, encontros, abraços, sorrisos, afeto!!!

Os ingressos para o 4º Pira Rural eram limitados a 300 pagantes. Mas, somando alguns pagantes extras e não pagantes como músicos, acompanhantes, organização e colaboradores, chegou-se a cerca de 500 pessoas circulando pelo Festival durante o feriadão de Páscoa.



Para receber toda essa galera, uma estrutura bacana foi preparada pela organização do Pira. Os banheiros foram ampliados, foi construída uma casinha específica para o câmbio rural, a cozinha também ganhou reformas e até uma bonita decoração. Tanta hospitalidade e organização foi viabilizada por uma equipe unida, que pensa nos detalhes e que faz tudo com muito amor. Na organização direta, estão dez pessoas que planejam e produzem o Festival há quatro meses. No apoio e no trabalho durante o evento, familiares, colaboradores, amigos e parceiros somam mais de 20 pessoas. É trabalho coletivo efetivamente!

Neste processo de construção de um festival, os integrantes da equipe organizadora admitem que rolaram alguns conflitos e briguinhas - algo natural - mas que de nada atrapalhou o companheirismo, a amizade, a parceria e o comprometimento do grupo para realizar um evento tão a cara deles. E se a gente pergunta a esta equipe “por que vocês fazem isso?”, as respostas são tão espontâneas quanto honestas: “para juntar os amigos”, “pra ver pessoas felizes”, “pra ouvir música boa”, “pra se divertir”. E quer motivos melhores que esses pra se produzir um festival?



Atrás desse carinho foram 11 excursões de todo o Estado e também de Florianópolis, Capinzal/SC e Curitiba/PR. Do RS, vieram pessoas de Santo Ângelo, Santa Cruz do Sul, Porto Alegre, Cachoeira do Sul, Pelotas, Santa Maria, Passo Fundo, Caxias do Sul. A maior excursão foi da capital, um ônibus e um microonibus totalizaram 77 pirados.

Pira Rural que definitivamente não tem “rural” só no nome do festival. Além do canto das aves e do gado que passeava tranquilamente por entre as barracas, a maioria dos alimentos utilizados no preparo das refeições - vegetariana e colonial -  foi adquirida da região, cultivados na própria Cascatinha ou advindos de pequenos produtores de Ibarama, Sobradinho e Arroio do Tigre. O vinho e a graspa foram produzidos pela Cantina Franco Leão, administrada pelo Franco, músico da Xispa Divina. O chopp artesanal Panambier vendido no festival era de amigos de Panambi!

O fato do festival ser concebido valorizando o natural, o artesanal e o familiar é algo que certamente encanta e conquista o público do Pira.

Muita gente já tinha participado de alguma edição do festival, outros estavam lá pela primeira vez. E é por causa desse boca a boca entre as pessoas que mais e mais gente tem vontade de conhecer o Pira. Na Cascatinha se encontram amigos literalmente "de outros festivais" como Morrostock, Psicodália, Búfalo Bêbado (SC), Acid Rock Festival, Natureza Rock (SC), FestMalta e ManifestaSol.




O Pira não é o Pira sem a natureza que envolve as pessoas e que incorpora o palco e a música ao ambiente. A cascata, claro, foi um dos lugares mais frequentados do festival e refúgio confirmado nos momentos de calor intenso além de opção de banho pra galera que não se importava com a água fria. Essa integração das pessoas com o ambiente da Cascatinha foi valorizada ainda mais pelas oficinas de yoga e meditação com as árvores, pensadas para proporcionar mais aprendizado sobre nosso corpo e mente e integrar-nos à energia da natureza e da terra.




As trilhas ecológicas fizeram os participantes conhecerem mais a flora da Cascatinha. Neste ano, conforme a organização, a trilha que leva ao topo da cascata teve que ser redescoberta pelos participantes, pois estava abandonada há algum tempo. O PiraTur levou uma parte do público a propriedade de Mario e Renilde Raminelli onde o pessoal pode entrar em contato com a prática da agrofloresta, o plantio que consiste na união das culturas agrícola e florestal. Uma das oficinas mais procuradas foi a de produção de vinho que contou com uma aula sobre todas as etapas de feitura artesanal da bebida além de degustação do vinho da Cantina Franco Leão, de Sobradinho.




A programação musical deixou todo mundo em estado de felicidade. No palco Ricas Abóboras, durante os três dias, bandas independentes, autorais, batalhadoras e estradeiras levaram ao palco muito profissionalismo, qualidade, atitude, experimentalismo, improvisação e emoção. Era notável a empolgação dos músicos em estar tocando no Pira, tão pertinho do público, recebendo um feedback imediato e as congratulações que depois se estendiam aos outros espaços de convivência do Festival.

Bandas de diferentes cidades trouxeram diferentes sonoridades ao Pira. Música instrumental, psicodélica, blueseira, roqueira, alternativa, erudita, brasileira entre outros tantos estilos construíram um mosaico de musicalidades surpreendentes e reveladoras.




Aplausos a Xispa Divina (Sobradinho) - banda anfitriã do Pira, Quarto Ácido (Panambi), Os Brutais (Pelotas), Saturno de José (Esteio), A Célula (Farroupilha/Caxias do Sul), Ácido Rock Band (Panambi), Diabo Verde (Londrina/PR), Mahabharata Instrumental (Caxias), Davi Henn (Curitiba), Los Cucarachos del Blues (Passo Fundo), Músicas Intermináveis para Viagem (Porto Alegre/São Paulo/Berlim-ALE), Velho Hippie (Caxias do Sul), Cabeçote (Curitiba), Casamata (Sobradinho), Quarto Sensorial (Porto Alegre), Centro da Terra (São José do Rio Preto/SP) e Sopro Cósmico (Porto Alegre).




E fora do palco, qualquer lugar também poderia receber um show espontâneo.  A banda de rua porto-alegrense Sapo Jones e Coiote Bill tocou na cascata na sexta-feira e em uma sombra em meio ao público no domingo. Max e Maurício, músicos da Sopro Cósmico, também presentearam o público com apresentações no sábado, ao lado da cozinha, e no domingo, no Palco Livre do Pira. Palco Livre que teve jam reunindo músicos, público e pessoal da organização, como a Dona Betty, chefe da cozinha do festival, que alegrou a galera que já arrumava suas coisas para deixar a Cascatinha.

E foi com melancolia e certa tristeza que as excursões partiram. Felizes por ter participado e vivenciado intensamente o Pira Rural e com a certeza do retorno na Páscoa de 2014.




Alguns números curiosos do 4º Pira Rural:

- 370 litros de chopp Panambier, do tipo cevada e trigo, foram vendidosv
- 1300 litros de cerveja Província foram consumidos pelo público
- Na massa caseira do macarrão delicioso de domingo, feita pela Dona Anair, mãe do Tuito, foram utilizados 22 kg de farinha e 20 dúzias de ovos.
- 1 kg de fumo de corda (cortesia do Festival) foi consumido pelos apreciadores de palheiro
- 100 sacos de lixo (sacos com capacidade para 60 kg de feijão) foram produzidos nos 3 dias de festival.
- 2 carrinhos de mão de restos de alimentos foram acumulados e destinados à alimentação dos porcos do local (no mundo rural tudo se aproveita!)
- em média 470 pessoas, segundo a organização, acampou na Cascatinha este ano, quase duzentas a mais do que na edição 2012.




Mensagens das bandas
Algumas bandas que tocaram no Festival publicaram manifestações carinhosas em suas páginas e perfis no Facebook:

Os Brutais (Pelotas)
Muito obrigado a todos os que fizeram o Pira Rural, não há palavras pra descrever a grandeza e o espírito desse festival. Nós ficamos honrados por ter tocado novamente naquele palco mágico, ao lado de bandas fantásticas. Vida longa ao Pira e a esse espírito. Muito Obrigado. Em breve sai vídeo do nosso show na noite de sexta.

Saturno de José (Esteio)
VALEU PIRA RURAL!
Que festival! Que galera! Que bandas!
Cascata gostosa, comidinhas nhami nhami, bebidonas benzadeus, organização nota 1000!!!


A Célula (Caxias do Sul)
Fim de semana mais do que especial para nós...Muito bom tocar num ambiente maravilhoso, cercado de pessoas maravilhosas, e um palco maravilhoso....Muito obrigado a todo o pessoal do Pira Rural pelo convite, em especial ao amigo Tuíto...Sem palavras...

Ácido Rock (Panambi)
Minha nossa! Não sabemos como explicar o clima maravilhoso, pacífico, tranquilo (e pirado ao mesmo tempo) e de muito ROCK'N'ROLL que vivemos no PIRA RURAL, nesse final de semana! O que falar de tantos artistas, músicos e, acima de tudo, pessoas ESPECIAIS, que conviveram conosco nesses dias! Simplesmente ESPETACULAR! Pirarruralizamos na sexta-feira à meia-noite e foi DEMAIS tocar para um público tão querido que, apesar de nossos "errinhos", não deixou a peteca cair e foram extremamente receptivos conosco! Obrigado à organização do Pira Rural pela oportunidade de mostrar nosso trabalho!!!

Quarto Ácido (Panambi)
Quarto Ácido é só agradecimentos a esse maravilhoso e mágico festival de música e amizade. Obrigado equipe do Festival Pira Rural e Xispa Divina, esse foi o melhor presente de pascoa que poderíamos receber! A todos os brothers que viveram essa vibe astralizante conosco, em especial ao Chopp Panambier, Ácido Rock e Vinicius Brum, tirando aquela onda; Cabeçote, Davi Henn, Família Pala e Centro da Terra, grandes músicos, pessoas incríveis que vieram de longe pra abrilhantar o festival; As demais bandas que mandaram uma sonzeira fudida (sem exceções); E a todos os brothers e sisters que abraçamos, conversamos e trocamos aquela energia boa. Obrigado a todos!

Mahabharata Instrumental
A Mahabharata Instrumental agradece de coração a todos que fizeram do Festival Pira Rural o melhor lugar para se estar na páscoa. Que o som que foi feito no Pira ecoe para sempre em suas almas.

Cabeçote (Curitiba/PR)
Neste fim de semana pudemos desfrutar da companhia de pessoas mais que especiais, em lugares lindos e repletos de uma coisa boa demais, sem explicação. Muito obrigado ao Thales, Stéphanie, Nego e toda a galera do Pubi Handte, que nos recebeu de braços abertos e com uma alegria contagiante. Nem temos como agradecer tudo que fizeram por nós!
Mostrar nosso som no Pira Rural fechou com perfeição toda essa viagem. O Festival é fantástico, e tivemos momentos incríveis na Cascatinha, lugar tão lindo e repleto de mato, gente boa e energias ainda melhores! Valeu mesmo à toda a galera da organização, valeu pelo convite, valeu pelo espaço, e vida longa ao Pira! Todas as bandas foram sensacionais, muita sonzeira reunida num lugar só!
E claro, muito obrigado aos nossos velhos amigos e companheiros de viagens Davi Henn e Adriana Hote pela parceria e pela sonzeira, valeu à toda a galera doCentro da Terra, novos grandes amigos que pudemos conhecer nesta viagem e que mandaram ver demais lá também. Valeu Vinicius, Pedro Paulo pela enorme parceria, e valeu muito Camilla Borio Di Lucca, pelo trampo sensacional e psicodélico no palco do Piral Rural!
Esperamos poder voltar sempre pra desfrutar desses lugares fodas em que estivemos, com todos esses amigos e galera massa que fazem o som ir sempre em frente! Muito obrigado a todos, mesmo! Foi um prazer passar esse tempo com vocês.

Som pra quem tem cabeça!



Texto: Silvana Dalmaso - Cobertura Colaborativa Pira Rural
Fotos: Stéphanie Chauvin e Cobertura Colaborativa 2013


4 de abril de 2013

Um Causo em Poesia: Homenagem as Sonoridades do Pira Rural

Blza Pessoal!! Vai ae uma Brincadeira para Abençoar as Belas e Surpreendentes Apresentações dos Artistas da Quarta Edição do Festival Pira Rural.


Abóboras de Vitalidade!

Nossa Casamata sempre será a Cascatinha
Aposentos amparados pela Betty
Uns dormem no Quarto Acido
Outros acordam no Quarto Sensorial
E o Mundo nem precisou acabar
Para vermos o Centro da Terra
O Núcleo de toda A Célula

Lá o mais Velho Hippie ou Jovem como Flor Lilás

Trazem um Cabeçote de Vivências Projetáveis
Nos ensinam a não brincar nem com Diabo Verde
E a se orientar sim pela Mahabharata Instrumental
Descobrir mais sobre a Xispa Divina do Amigo agora Nativo
Intuitivamente como um Sopro Cósmico

E do Palco Ricas Abóboras irmão da Rádio Camarim

Observar a chegada ilustre da Lua Cheia de Saturno de José
E imaginar a todo instante Los Cucarachos del Blues
Se embriagar com Os Brutais sonidos de guitarra e bateria
Capaz de deixar até Sapo Jones & Coiote Bill apavorados na Cascata

Enquanto de trem e metralhadora imaginária
Davi Henn se oferece pra buscar mais Choop
Todos com gosto de Acido Rock Band
Diferente só o Max Sudbrack da Graspa Mel
Que não paga mais IPVA
Mas faz de tudo pra escutar M.I.p.V
E cantar junto com todos Pãã Rááá Ri Rá Ri Rá Pira Rural


Autor: Marcelo Tuito
Créditos da Foto: Cobertura Colaborativa

3 de abril de 2013

Hora de voltar pra casa... mas ano que vem tem mais pessoal! :)


É isso aí pessoal!

Mais um Pira Rural se foi...
E novamente foi indescritível estar com todos vocês!
A alegria no rosto de cada um que participou faz todo o esforço e tempo gasto produzindo o festival valer muito a pena!!!

Foto Oficial - 4º Pira Rural

Queremos deixar aqui o nosso agradecimento de coração a todos que ajudaram a construir mais uma página da história dessa Pira!!

Começando pelas bandas, que detonaram outra vez, sem palavras pra descrever o que foram os shows!
Aos amigos de Caxias, A Célula, Velho Hippie e Mahabharata Instrumental, que mais uma vez vieram com força máxima pra emocionar a galera; aos amigos de Panambi da Quarto Ácido e Ácido Rock, grandes parceiros que detonaram no palco e na lida campeira; ao Davi Henn, Cabeçote, Diabo Verde e Centro da Terra, que vieram de longe (ou muito longe), encarando várias horas e até dias de estrada, pra nos presentear com apresentações fantásticas e muita psicodelia; as gurias da Músicas Intermináveis Para Viagem que vieram conhecer a Cascatinha pela primeira vez e deram um belo show; Los Cucarachos del Blues que mais uma vez trouxeram a loucura de Passo Fundo pro Pira; Sapo Jones & Coiote Bill que chegaram de surpresa pra mandar ver no som na Cascatinha, quase dentro d'água; Quarto Sensorial que vem sempre pra botar o palco abaixo e que não foi diferente essa vez; Saturno de José que embalou a galera com suas belas canções; a Sopro Cósmico que veio novamente apavorar a galera e ao Max e Maurício que fizeram um som solo no sábado ao lado da cozinha como trilha para a oficina de Yoga e novamente no domingo no palco; Os Brutais que mais uma vez vieram representar muito bem o sul do estado com seu petardo musical; e também as bandas da casa, Xispa Divina e Casamata, esta que com muito estilo, fez seu primeiro show da história da banda justamente nessa edição do Pira!!!! e também pra Betty & Arno, que fecharam com chave de ouro o festival de forma descontraída naquela hora em que bate a tristeza de ir embora!! Um baita abraço e muito obrigado pra todos vocês!

Seguindo com os oficineiros, que mandaram ver muito bem nas atividades fora do palco, todas com a cara do Pira Rural, mantendo sempre a galera ocupada e até mesmo sem saber o que fazer primeiro! O Tobias, que subiu e desceu a trilha levando aquele galerão conhecer a parte de cima da Cascata inúmeras vezes, a Natália Eschiletti que fez a observação daquele céu incrível com direito a lua cheia nas noites do Pira; ao pessoal da cobertura colaborativa, que além do trabalho que já estavam fazendo, ainda ministraram a oficina de fanzine! O Guido e a Cinthia, que mais uma vez levaram uma galera pra meditar e relaxar no domingo de manhã! Velho amigo Gueno, que veio com a Yoga e ensinou o povo a fazer malabares... e também aos facilitadores da casa: a Danusa, que puxou o PiraTur e levou uma galera conhecer uma propriedade modelo no interior de Ibarama, pra aproximar esse pessoal da realidade da região, e o Franco, que foi na casa do vizinho, o Tio Ari, pra contar um pouco sobre a história do vinho e ensinar a teoria da produção dessa bebida!

Também fica aqui um grande muito obrigado e um beijo no coração da galera que fez a cobertura colaborativa: Michele, Natalia, Daíse, Silvana e Rosana, além dos outros mais que ajudaram, o Santin, Breno, Rafael, Dinarte, Hiezer, e quem mais contribuiu caso tenha faltado alguém!! Vocês mataram a pau!!! E também a galerinha que estava registrando de forma independente todos os momentos no Pira, pra todos lembrarmos essa páscoa incrível!!

Ao pessoal da banquinha, onde havia vários trabalhando!! Sintam-se todos abraçados e agradecidos!

Pra galera que ajudou na rádio camarim, Breno e Dinarte já citados, e também o Tiago Frank e quem mais passou por lá ajudando na comunicação e metendo um som pra galera no festival!

Um baita agradecimento também pro Leonardo Magno Sampaio, que gravou o áudio de todos os shows, imortalizando assim a sonoridade do palco Ricas Abóboras nesse 4º Pira!!

Um abraço forte pro Jamil, grande parceiro de empreitada, que além de nos ceder o estúdio pra gravarmos as vinhetas que rodavam na rádio camarim, fez outra vez um excelente trabalho com toda a equipe de sonorização do Palco no Festival!!!

Pessoal que colaborou nos contatos e transporte para as bandas, oficinas, etc, com as ótimas sugestões e a disponibilidade.

Os organizadores das excursões, que abraçaram a causa de trazer junto uma baita galera e que sabemos que não é fácil... Back, Sabrina, Christian, Emílio, Luana (que vai ficar apavorada e não vai conseguir dormir a hora que descobrir o que perdeu!!), Lu, Jhonny, André, Jean, Xande Lino, Cátia, Everton Rodrigo, Fernando, Melina, Júlia, Tamara, Sabrina Santos, Anderson, Stephanie Motta (que ficou doente e tb acabou perdendo...)!! Vocês se puxaram gurizada, parabéns!!

Galera que meteu o braço com a gente e trabalhou muito no festival: Mazzei, Priscila - que além de trabalhar bastante, ainda fazia os atendimentos da galera quando necessário; Nico, Rafa, Thiagão - sempre incansável, Bruna, Trindade, Nedi, Carol, Alles, Nego Handte, Pedro, Marcelinho, Thales, Stéphanie, Vini, Chico, Duda - que segurou a onda no banheiro, Guilherme, Andrea, França e Rosana, Aninha, Lurdes, Gérson - que este ano entrou na lida junto antes mesmo do festival começar, e se tornou um grande amigo, contribuindo muito pra resolver as encrencas durante a produção do festival!!! Sem vocês, o festival não funcionaria!!! Muito obrigado pela ajuda, pela parceria, e por todos aqueles momentos incríveis!!!

Lôi e seu Irmão, que ficaram fazendo a segurança nas noites e madrugadas lá na entrada da propriedade!!!

Agradecimento ao pessoal que ficou em casa com vontade de vir de última hora, que respeitou nossos pedidos de não vir pra Cascatinha sem ingresso; aos internautas sempre educados nas questões que estavam em dúvidas sobre o Festival!!

Um baita muito obrigado pro Tio Ari, vizinho da frente do festival, que sempre cede espaço pra utilizarmos durante o Pira, e tem muita paciência pra aguentar o barulho e toda a galera que fica circulando ao redor de sua casa durante o fim de semana inteiro, hehe... E que esse ano ainda serviu de lugar pra oficina sobre vinho, e como se já não bastasse ainda arrumou um xarope pra febre quando já era madrugada, pra ajudarmos o Guilherme - batera da Centro da Terra - que estava com febre antes do show no sábado!!!

Muito obrigado também pra galera que ajudou a descascar milho, recolher o lixo ou ajudar de qualquer outra forma no festival! 

A todos nossos fornecedores, sejam da cidade ou do interior, Família Raminelli pela recepção e hospitalidade!! Há boatos de que ensinaram o pessoal até como se descasca uma laranja lá na propriedade do seu Raminelli!! Hehehe...

Também queremos agradecer a todo pessoal da Prefeitura Municipal de Ibarama, que acreditou novamente no potencial do Pira, desde a prefeita até os secretários e funcionários!! Prefeitura que também deixou a ambulância do município de prontidão caso fosse necessário, e realmente acabamos utilizando-a (felizmente nada grave). E queremos agradecer também o motorista da ambulância, que quando foi solicitado, rapidamente chegou ao festival!!! Grande abraço a todos!

E finalizando, um muito obrigado imenso pro povo todo que estava lá presente, pois o festival é feito pra vocês!! Sabemos que muita gente fez um grande esforço, ainda mais em final de mês, com a grana curta, pra estar lá conosco! Vocês são excepcionais!!!

Todos vocês merecem a nossa mais sincera gratidão!!
Foi uma Páscoa incrível!!
Sintam-se todos abraçados!
Até a próxima pessoal!!
Equipe Pira Rural (Betty, Danusa, Franco, Cris, Liara, Samambaia, Cella, Gu, Fhio e Tuito)!

27 de março de 2013

Cobertura Colaborativa no Pira Rural

Olá amiguinhos!!

A Cobertura Colaborativa é um projeto que reúne pessoas de qualquer formação que queiram registrar e divulgar uma atividade, no caso o Pira, por meio de fotografia, redação, audiovisual e outros meios. É um processo de formação, onde os participantes somam e trocam suas experiências e práticas para atuar como midialivrista!

O Pira conta  com uma galera que além de curtir o festival também contribui com o registro e divulgação. Confira o trabalho da equipe da cobertura colaborativa do Pira 2012:

Para 2013, a equipe da Cobertura está em constantes articulações há mais de uma semana, mirabolando ideias para poder captar o melhor do Pira. Fotos, audio, textos, audiovisual e o que mais surgir...

Além da equipe, todos os sujeitos que quiserem gravar, fotografar sob sua ótica o que rola no Pira Rural, podem compartilhar disponibilizando seus registros lá mesmo, durante o Festival.

Já está prevista a Central de Mídia junto a Banquinha, e lá terá espaço para baixar os arquivos.
Ajudem-nos a registrar essa história! Vamos nessa?

Novidade no Pira 213: PiraTur - Uma viagem às riquezas da terra!

Olá amiguinhos!!

Enquanto todo mundo verifica a barraca e aqueles itens de sobrevivência pros 3 dias de acampamento de páscoa, nós temos uma novidade pra galera do Pira Rural!!

PiraTur - Uma viagem às riquezas da terra!

Fazendo jus a nossa proposta de aproximar o pessoal da cidade grande com as riquezas da vida do interior, este ano o Pira conta com mais esta atração. Uma visita à propriedade de Mario e Renilde Raminelli, localizada um pouco antes do trevo de acesso à Ibarama,
que conta com o cultivo de  150 itens diferentes entre elas  cana-de-açúcar, amendoim, laranja, oliveira, nectarina, pêssego, caqui, quiabo, quino, porongo, batata-doce, erva-mate, milho, banana, bergamota, feijão.

A propriedade é uma unidade de pesquisa da Embrapa para diversos dos produtos citados acima e o cultivo das frutas segue um método de frutificação ecológico, no qual não há inserção de adubo ou agrotóxico.

Além de tudo isso, Dona Renilde ainda desenvolve um trabalho muito interessante com artesanato de palha de milho e trigo, e quem aderir a visita poderá ver a demonstração de algumas destas habilidades e muitooooooooo mais!

Tempo de duração: 2 horas
Partida e número de participantes: será anunciado na programação da Rádio Camarim. Fique ligado!!!
Material sugerido: Máquina fotográfica!!!
Guia: Danusa Lazzari

Curtiu? Então fica ligado, que vai rolar no sábado à tarde galera!!!!!
E vamo que vamo que ta chegaaaando!!!!

26 de março de 2013

Eternizando o 4º Pira Rural!!!

Se liga galera que faltam 3 DIAS para o Pira Rural 2013!!!

E para essa edição estaremos colocando na programação o momento “Eternizando o 4º Pira Rural”, que será justamente o fato de tentar reunir todos os presentes na Cascatinha: público, artistas, voluntários, organização e animais do Festival para uma foto histórica que ficará registrada na memória e nos álbuns fotográficos de todos os presentes.

Fica o lembrete desde já!!!
Vai ser no domingo, pouco antes das 14hs, antes de começar o Palco Livre!!
Todos reunidos na ladeira do potreiro (sim, no potreiro) do vizinho!!! Não esquece de participar vivente!!!


Grande abraço, e nos vemos na Cascatinha!!! o/

25 de março de 2013

Mais amor, menos barracas! E outros lembretes do Pira...

Olá amiguinhos!

Já entramos na semana do Pira Rural 2013!!! E então estamos passando pra deixar alguns recados pra todo mundo que vem curtir essa pira com a gente. Se liga aí:

  • Os ingressos acabaram, e não há venda no local. Não adianta vir de perto ou de longe sem ingresso e espernear na hora pessoal, já estamos lotados! Contamos com a compreensão de todos!
  • Não esqueça de trazer copo/caneca, prato, e garfo/faca/colher, pois não haverá disponível no Pira! Ah, a colher é pros caldos à noite! ;)
  • Haverá próximo aos banheiros um lavador de pratos, talheres e canecas!
  • Para tudo fluir bem no Festival, recolha seu lixo, coloque as latas nas lixeiras, não desperdice água (banhos e sanitários), e ajude a cuidar das pessoas a sua volta. O Festival também é feito com a ajuda de vocês!
  • Em relação ao almoço, cada um que quer almoçar deve comprar sua ficha no dia. É só passar no bar, por volta das 11 horas e garantir a sua ficha. A comida é feita de acordo com a quantidade de fichas vendidas. Haverá almoço colonial e vegano!
  • Não esqueça dos itens de sobrevivência: lonas para cobrir a barraca, assim como lona pra por embaixo da mesma; lanterna; saco de dormir ou cobertas; agasalho pras noites frias; observem a previsão do tempo ao longo da semana pra não serem pegos desprevenidos;
  • Alguns perguntaram a respeito de extensões. Bem, não temos tomadas disponíveis para puxar extensões pros acampamentos pessoal. Melhor colocar o bom e velho liquinho junto na mochila!
  • Pra todos acamparem bem, vamos economizar espaço dividindo barraca com os amigos, amigas, irmãos e camaradas, e assim garantir maior conforto pra todos. Entre você também nessa campanha:




E nos vemos no Pira!! ;)

21 de março de 2013

Vai rolar também a oficina de Fanzine no Pira! Não perde...

Olá amiguinhos!

Programação intensa no Pira 2013!!! Mais uma oficina que vai rolar esse ano. É a de Fanzine!

Oficina de Fanzine
Orientação: Cobertura Colaborativa

Os fanzines são produções alternativas, feitas por fãs de uma determinada arte ou por pessoas que queiram colocar as suas idéias e reflexões em evidência.

Criativos e insatisfeitos perante este quadro sistematizado e persuasivo da comunicação de massa, na busca por uma identidade comunicativa e uma liberdade de expressão, algumas pessoas, de forma coletiva ou individual, criam os seus próprios meios de comunicação.

Todos podem criar um fanzine, seu formato e objetivo estão incontestavelmente ligados ao tom agressivo e sedutor da arte. Os ‘Zines’ resgatam os verdadeiros valores da mídia impressa, além disso, o amadorismo e a revolta (reaproveitando o que seria lixo, como revistas velhas), provocam a comunicação da margem da sociedade. Os fanzines são feitos para circular em determinados grupos de pessoas, não propõe atingir a massa. O valor subversivo é a alma do Fanzine. É uma Via de Expressão

Sua elaboração é composta através de um informativo simples, que integra arte e conteúdo, onde o(s) autor(res) transmite o que tiver vontade de informar, pode ser o que estiver sendo desenvolvido, enfim, a criação é totalmente aberta. Contribui para a recordação, produção de conteúdo artístico, conhecimento... e colabora no festival, a nível de intervenções, experiências próprias, com formato em folkcomunicação e mídia livre. “O Fanzine está para a internet, assim como, o vinil está para o formato mp3.


No Pira Rural não pode faltar a trilha ecológica!


Foto: Tobias Gonçalves
Alá amiguinhos!

As belezas naturais têm cada vez mais atraído a atenção e interesse de turistas de todas as partes do mundo, contudo, a realização de trilhas de forma indiscriminada, em áreas até então não exploradas pelo homem, vem causando impacto ambiental. Neste contexto, surge a necessidade de orientação aos praticantes na organização desta atividade, tão prazerosa e gratificante.

E pra quem curtiu a trilha ecológica ano passado, esse ano tem de novo!!! 

A Trilha Ecológica será dividida em duas etapas: a primeira parte será teórica, abordando questões importantes para a preservação do meio ambiente, como organização do acampamento e utilização correta de recursos naturais, e também, questões de segurança do grupo aos perigos naturais. 
 
Foto: Tobias Gonçalves
A segunda etapa será prática, com a realização de trilha em mata nativa no entorno da área do Festival, orientada por um biólogo, fazendo trajeto até a parte superior da cachoeira principal do Pira.

Mas atenção: pra quem foi ano passado, a trilha esse ano é outra, com um grau de dificuldade maior. Por isso, com orientação do biólogo Tobias Gonçalves, a trilha será realizada com grupos de no máximo 12 pessoas por vez. Mas pra galera ter chance de ir lá, realizaremos 3 vezes a trilha durante o festival!

Limite de participantes: no máximo 12 pessoas por vez.
Orientador: Tobias Gonçalves

Foto: Tobias Gonçalves


20 de março de 2013

Programação Oficial definida para o 4º Pira Rural!

Atenção, atenção amiguinhos!

Saiu a programação oficial do 4º Pira Rural...

Acessa o blog lá e confere tudo que vai rolar e os respectivos horários!!! Te programa que a agenda vai estar bem cheia...

Segue o link:

Contagem regressiva!
Abraço a todos...
Equipe Pira Rural

15 de março de 2013

Faltando duas semanas pro Pira Rural vamos com duas oficinas novas!

Buenas pessoal!!

A páscao se aproxima, e hoje faltam exatamente duas semanas pro Pira Rural desse ano. 
Então as aficinas vão em dose dupla hoje, ambas ministradas pelo nosso amigo Gueno!!

Foto: Danusa Lazzari
Oficina: Yoga

Alguém já avisou a você que esta respirando, agora, neste exato momento? Ahh lembrou, né, espertinho. Pois adicione movimentos corporais específicos a esta consciência respiratória e estará praticando Yoga, a ciência da união do corpo com o espírito. Não entendeu? Vai lá e experimenta, meu! 
Facilitador: Augusto Genehr


Oficina: Confecção de malabares com balão e jornal (bolas)

Esta sem grana para comprar aquele kit sensacional de bolinhas malabarísticas do seu palhaço favorito!? Seus problemas se acabaram-se!!! Nesta oficina você terá a oportunidade de aprender a incrível e super complexa (!) técnica de fazer bolas de malabares com balão e jornal. Mas não para por aí. É necessário treino árduo para para jogá-las para cima sem deixar que caiam no chão, ou ainda pior, na cabeça de outro alguém. Vê lá, hein! Juízo! ;)

Facilitador: Augusto Genehr

14 de março de 2013

Mais uma oficina confirmada! Vai ter galera vendo estrelas no Pira!

Olá amiguinhos!!

Mais uma oficina confirmada no Pira Rural 2013!! 
Pra galera que curte observar as estrelas enquanto ouve o som do Palco Ricas Abóboras, segue aí a descrição da oficina!

Oficina: Observando o céu noturno.
Tema: Noções básicas de astronomia e orientação a partir da observação do céu noturno.
Tempo de duração: 1h (a partir do início da noite de sexta-feira ou a combinar).
Número de participantes: Livre.
Materiais necessários: Caso possuam um binóculo é interessante levar para usar durante a observação.

O objetivo desta oficina é reconhecer as constelações visíveis no céu de acordo com a época do ano (março-abril), aprender como se localizar, diferenciar as estrelas dos planetas (os planetas Júpiter, Saturno e Mercúrio estarão visíveis no céu) e compreender as fases da Lua (Lua Cheia).

Imagens das principais constelações: no início da noite poderemos observar a constelação de Órion, cujo integrante principal são as Três Marias que correspondem ao cinturão do Órion. Esta constelação é conhecida como uma constelação de verão, visto que ela aparece durante a noite inteira durante os meses de novembro a fevereiro, aproximadamente. Neste momento também é possível observar Júpiter em Touro.

Instrutora: Natália Eschiletti.


E lembramos: os ingressos acabaram pessoal, não adianta pedir agora! E não haverá venda na hora! 

É também não esqueça de trazer seu prato, talheres e copo/caneca!! ;)

11 de março de 2013

Mais uma oficina no Pira: Vinho, bebida milenar de história apaixonante!

Apoio: Cantina Franco Leão
Vinho, bebida milenar de história apaixonante.

O festival também leva você a uma rápida viagem ao mundo do vinho, suas variedades e diferenças, suas regiões produtoras, seus mistérios e alguns de seus segredos.

O que envolve a produção de um bom vinho? Venha conosco aprender a fazer uma pequena quantidade de seu próprio vinho!

Ministrante: Franco Lazzari
Apoio: Cantina Franco Leão

Cartaz Oficial do 4º Festival de Música Pira Rural


8 de março de 2013

A Cascatinha também é lugar pra meditar!

Olá amiguinhos!!!

As bandas que vão alucinar os dias e noites da galera na Cascatinha já foram apresentadas!
Agora vamos partir pras oficinas!!!

Pra começar no relax, vamos com uma meditação... Saca só!

Oficina: Meditação das árvores
Focalizadores: Cinthia Benites Pretz e Guido Bracagioli
Tempo: + - 1 hora
Sem limites de participantes

Foto: Breno Dallas
Para diversas culturas as árvores se apresentavam como provedoras de energia protetora. Providas de almas, em diferentes tradições, eram tratadas como seres animados, respeitadas por suas forças divinas, de sabedoria e proteção.

Esta oficina propõe uma experiência onde integraremos a meditação junto ás árvores com mentalizações específicas, sons e técnicas de cura que estimulem uma conexão com o nosso Ser interior, com a Mãe Terra e com o Universo. Aprenderemos a reconhecer o campo energético das árvores e entrar em contato com o mesmo, de forma a comungar sua energia curativa protetora e seu conhecimento. O som é um grande indutor de estados de consciência influenciando diretamente nossas emoções. Utilizaremos instrumentos ancestrais como o tambor e o didjeridoo favorecendo o contato com o chakra do coração. Como técnica de cura será utilizada a Cura Reconectiva, uma nova técnica que utiliza frequências poderosas que trazem o equilíbrio aos nossos corpos físico, emocional, mental e espirituais.

Além disso, vamos sortear para os participantes duas sessões de atendimento, o Guido com a Cura Reconectiva e eu com EFT (técnicas de liberação emocional).


6 de março de 2013

Mais uma prata da casa pra fechar as atrações sonoras do Pira Rural

 E pra fechar as bandas do 4º Pira Rural, mais uma banda local vem mostrar a cara!

A Casamata é uma banda da cidade de Sobradinho-RS, e também prata da casa no Pira Rural. A banda é fruto de um projeto que já existia enquanto ideia há muito tempo entre os componentes. No entanto, apenas próximo ao fim do ano de 2012 se consolidou realmente como banda. Esse período de pré-existência formal foi fundamental para o grupo, foram inúmeras horas de improvisos, conversas, brigas e risadas que culminaram na produção de cerca de nove composições próprias, e é em cima deste trabalho que a banda fará a sua primeira apresentação na quarta edição do Festival de Música Pira Rural.

O som da banda é original e reflete a diversidade de influencias dos músicos. Passa pelo Rock 70 e bebe na fonte do Blues e do Funk, com instrumental bem marcado, vocais melódicos e letras que falam do cotidiano. É formada por Adriano Stecker Moraes (vocal), Alan Scherer (bateria), Gustavo Steiernagel (Baixo) e Jamil Moreira (guitarra).

A relação da banda com a Cascatinha não é de hoje! Nosso amigo Gu (Gustavo), é o comunicador oficial da Rádio Camarim e um dos organizadores do festival, e jogou todas as fichas nesse projeto que tem muito significado no sentido de criação e iniciativa. Os outros integrantes também já participaram de alguma maneira no Festival. Jamil, o guitarrista, é técnico de som e vai sonorizar novamente o Pira Rural, além de possuir um estúdio de gravação que está sempre de portas abertas em Sobradinho. Alan é um baterista com muita bagagem, já tocou com inúmeros músicos e junto com o vocalista Adriano tocou no Pira na edição de 2012...


"Enfim, agora temos uma Casamata pra admirar a Cascatinha..."

Pra falar com a banda, manda e-mail aí:


E abaixo segue o primeiro som gravado pelos caras:

5 de março de 2013

Vivendo com o Blues, o Homem-Banda vem aí!

Compadres e comadres, mais uma banda pra temperar essa Pira!! Ou melhor, o Homem-Banda!!

Após participar de inúmeros projetos musicais e bandas independentes ao longo dos últimos anos, Davi Henn se lançou em carreira solo no início de 2011, com um novo personagem e uma nova sonoridade, um Bluesman nascido no sul da América do Sul!  De saída lançou o EP ‘As coisas que acontecem por aí’ , gravado em casa e vendido de mão em mão pelo próprio artista ,ultrapassa até agora a marca de 450 cópias vendidas a simbólicas 5 pratas!
Foto: Pedro Caetano
Empunhando uma tradicional Viola Caipira de 10 cordas, desfila um repertório centenário dos primórdios do Blues tradicional, tocado pelos trabalhadores negros da área rural do Mississippi. Um som que traz na bagagem muitas das lendas do folclore do Blues, pactos com o Diabo, a busca pela salvação da alma, o alcoolismo, o abandono, os maus tratos sofridos pelos trabalhadores do campo, tudo isso é reclamado nas letras das canções.

Em arranjos únicos, traz no repertório canções de Robert Johnson, Memphis Minnie, Bukka White, Tommy Johnson, Howlin’ Wolf, entre outras entoadas entre suas próprias canções em português.
Foto: Nicolas Pedrozo Salazar
Durante o show, o lado cômico aparece, nos solos feitos em um Trompete de garrafa Pet, fabricado por Davi, lembrando a sonoridade das velhas bandas de Jazz tradicional do início do século XX.

Em 2012 encorporou novamente a guitarra aos shows, velha companheira de estrada. Passou também a fazer uso de um ‘Washboard Cajón’ invenção do artista, para dar força as apresentações ao vivo.

Em Novembro lança seu primeiro trabalho Ao vivo 'Despacho', EP gravado durante o verão de 2012 no Festival Psicodália em Rio Negrinho-SC.
Seguimos todos ‘living with the blues’!


Pra saber mais ou entrar em contato com o cara, acessa aí o site dele:

E abaixo segue uma amostra do som do rapaz:


4 de março de 2013

E mais um petardo vem aí: Ácido Rock Band na área!


Foto: Stéphanie Chauvin
"Qual o nome da tua banda?" Ácido Rock Band. "O que?" É difícil entender de primeira, e se acostumar com o nome, mas garantimos, o nome tem história: foi em meados do fim da década de setenta, quando 4 adolescentes fãs de Beatles, Stones e Hendrix se juntaram para formar uma banda. 
Foto: Stéphanie Chauvin
Não se sabe ao certo de onde eles tiraram tal nome, porém, o nome pegou e atravessou décadas. Sim, décadas: a antiga Ácido Rock Band interpretava músicas de suas principais influências e ídolos causando furor (no bom e no mau sentido) na pequena cidade puritana de Panambi, no RS. Por culpa de uma tragédia ocorrida com Martin, o Speak, baterista da banda, a Ácido encerrou suas atividades em pouco tempo. 

Foto: Stéphanie Chauvin
Entretanto, um legado foi deixado. No ano de 2004, quatro amigos juntaram-se para "fazer um som": Thales (sobrinho de Nego Handte, guitarrista da antiga Ácido), Tiago (filho de Hilário Fenzke, baixista da antiga Ácido), Roger Kober e Leandro Brendle
Foto: Stéphanie Chauvin

O nome Ácido Rock Band foi herdado e as aptidões musicais e influências também: Roger Kober, o baterista, sempre foi apreciador do estilo de Bill Ward, de John Bonham, Neil Peart e Ginger Baker; Leandro, o guitarrista, tem como influências Jimi Hendrix, Eric Clapton, Tony Iommy e Eddie Van Halen; Thales, também guitarrista, carrega traços e sonoridade bluesística de seu tio, da guitarra de Keith Richards e Jimi Hendrix; Tiago tem influências de seu pai, de Gezzer Butler, Jack Bruce e Geddy Lee. Todas essas influências, bandas e músicos foram bem incorporadas ao som da Ácido Rock Band e, hoje em dia, pode-se perceber que o som desses guris é bastante versátil e mistura pitadas de blues, rock'n'roll e rock progressivo em suas composições próprias. 

Foto: Stéphanie Chauvin
Há 9 anos na estrada com muitas curvas, pedras, mudanças, a Ácido mudou de formação apenas uma vez desde 2004, quando o amigo Lucas Hesselman foi guitarrista. Em 2012, o conjunto voltou com sua formação original, compondo canções e iniciando sua participação em festivais de música, dividindo palco com grandes bandas independentes do Brasil. 

O repertório da Ácido Rock Band sempre contou com covers de bandas como Rolling Stones, Cream, Hendrix e Rush, entretanto, a banda tem se dedicado exclusivamente às suas canções próprias: no repertório, músicas como "Tome cuidado" e "Curvas" podem ser conferidas e baixadas em suas versões DEMO (ao vivo) em: 






3 de março de 2013

A Cascatinha da diversidade também é o habitat de Sapos e Coiotes

Olá amiguinhos!

Seguindo os trabalhos, mais uma banda vem de Porto Alegre pra mostrar a cara no Pira Rural!! É a Sapo Jones e Coiote Bill, que desembarca na Cascatinha com sua sonoridade espontânea e feita ao ar livre.

Trio instrumental de rua com sons próprios e improvisos à lá vontê, a banda conta com um palco-móvel itinerante, cujos rumos são tão imprevisíveis quanto os improvisos - desde saraus até a orla do Guaíba.

Formada por Tiago Vieira na mini-bateria, Daniel Mossi no baixo, e Daniel Roitman na guitarra, o trio vem ao Pira mostrar a sua cara!


Pra saber mais da banda ou entrar em contato, acessa aí: